quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Carnaval de Salvador! Parte 2

Qual bloco e como comprar?

Aí depende do seu gosto e bolso! Você pode comprar diretamente nas lojinhas de abadás que estão nos shoppings em Salvador ou através do site delas! Eu costumava comprar pelo site do Reino da Folia poucos meses depois do carnaval, em abril ou maio porque esgotava super rápido, as outras lojas para compras são a Central do CarnavalAxé Mix.

Agora minha opinião sobre os blocos das ditas estrelas do axé: Os blocos mais cobiçados pela galerinha menininhos apertadinhos-bombadinhos e menininhas corte-make-look da estação são os que tocam Chiclete e Asa! Essa turma claro que também marca presença nos blocos de música eletrônica com os djs famosos! 

Eu curtia os blocos da Timbalada e Banda Eva, adoro a percussão da Timba e o astral da Eva, mas fazia parte do clube menininhas corte-make-look da estação (ô passado rs!) e saia sempre com o Asa! 


Os blocos de Ivete e Claudia Leitte são vistos como boas opções, mas nunca gostei delas no carnaval, cheguei a sair com ambas: acho que falam demais!  

E os turistas por alguma razão que eu desconheço amam Jammil rs! 


Já Daniela Mercury a-d-o-r-o a música e a energia dela, samba reggae é vida, mas ela é pouco simpática e acho que inova muito no carnaval, nem sempre me agrada, e o Crocodilo é conhecido como um bloco gay, eu não tenho o menor problema com isso porque me sinto muy bien no meio gay. 

Em geral os blocos taxados como "bons" são caros, absurdamente caros, mas cada um sabe de suas finanças e prioridades, né!? 


Se você vai arriscar comprar com os cambistas, o lugar é no Shopping Aeroclube ou Shopping Barra, o Aeroclube se transforma numa 25 de Março dos abadás, uma loucura total! 


Nesses lugares você pode dar sorte e encontrar algo relativamente 'bom e não tão caro', porque dizer 'algo barato' no carnaval de Salvador é um exagero! 
Mas dá pra se divertir sem ficar pobre no carnaval?

SIM, ainda dá! Quinta-feira por exemplo, tem o bloco Mascarados de Margareth Menezes que é aberto a todos, apenas tem que estar fantasiado, coloca a imaginação para funcionar, crie uma fantasia bacaninha com o que tem em casa e se jogue! ;)

Onde se hospedar?
Hotéis, hostels – na Barra estão os melhores albergues de Salvador, o Che Lagarto por exemplo fica na Avenida onde passam os trios! Dá uma olhadinha nas opções na página www.hostelworld.com !

Vale muito a pena alugar um apartamento, obvio que na Barra, Ondina, Campo Grande são mais caros por estar dentro da folia! Há opções de aluguel de quartos ou apartamentos inteiros!

Se quiser pagar menos, pode alugar em bairros próximos aos circuitos como Graça, Federação, Rio Vermelho.
Um ano aluguei meu apartamento que ficava na Avenida ACM, ou seja, já fora da area da folia, mas um táxi até a Barra custava 20 reais, eram 4 pessoas no apto, 10 reais por dia para cada um não é nada comparada a diferença no valor do aluguel!

Dá para buscar apartamento no site do jornal www.atarde.com.br e nas comunidades em redes sociais! Eu anunciei o meu numa comunidade dessa, mas atenção meu povo, não vai depositando dinheiro na conta de qualquer um, peçam todas as informações que acharem necessárias e confiram a localização do imóvel no Google Maps.



Dicas de segurança?

Nunca é demais lembrar que na Avenida menos é mais, sabe relógio e jóias? Deixe no hotel! 

Você pode levar uma Money Belt daquelas que usamos nas viagens por baixo da roupa com sua grana, documento e endereço de onde está hospedado! Não levem cartão de crédito ou mais de um documento de identificação, tem gente que opta levar uma xerox autenticada do RG!

Eu costumava dividir o dinheiro – de preferência trocado, evite notas de R$50, ou R$100, - nos dois bolsos da frente e comprava a cervejinha com os ambulantes do lado de fora da corda, é mais barato que dentro do bloco #dicadebebum!  ;)



Para terminar, um apelo aos meninos: não joguem cerveja pra cima, cacete! Não é bacana ficar fedida, peguenta – olha o baianês!, e lançando tendência com um ninho de passarinho como cabelo! :P



No mais muita paz, paciência, moderação e alegria no carnaval! Lembrando de algo mais, posto aqui!

" Minha carne é de carnaval
   Meu coração é igual
   Aqueles que tem uma seta e quatro letras de amor
 Por isso onde quer que eu ande, em qualquer pedaço eu faço  um Campo  Grande ... "

Carnaval de Salvador! Parte 1

Gente, vou tentar deixar algumas dicas para o carnaval de Salvador

Tentar porque apesar de ser baiana e ter pulado muitos carnavais e dado muita pinta nos ensaios de verão, essa fase “micareteira feliz u-hu” já não me pertence mais, tem uns 4 anos que não saio, já não vejo graça nesse carnaval elitizado e que segrega o povo, acho os preços das coisas surreais, mas como as pessoas costumam me perguntar sobre o carnaval de Salvador, decidi escrever um pouco, a ideia desse post é resgatar as informações que considero uteis para fazer sua vida de turista mais prática no carnaval!

Vamos aos circuitos?

São 3 circuitos oficiais, antigamente os artistas cantavam horas e horas, era uma verdadeira maratona, agora eu vejo muita enrolação, muita midia, é um tal de pára para dar um alô ao pessoal da rede não sei quê, para receber prêmio de melhor não sei o que lá, etc… É, estou velha e chata, sorry! 

Circuito Osmar (Avenida)

É o circuito tradicional, mais longo – 6km, os melhores dias são domingo, segunda e terça! Os blocos se concentram no Corredor da Vitória e de lá partem percorrendo toda a Avenida Sete de Setembro.  

O inicio desse circuito é a imagem clássica do carnaval de SSA, aquele corredor com a imprensa de um lado e autoridades politicas da city e camarotes do outro, não tem a beleza da praia da Barra de paisagem de fundo, mas dizem que passar por aí é um momento marcante na vida de qualquer micareteiro rs, e depois a não menos clássica passagem pela Praça Castro Alves, que já foi cenário dos melhores encontros de trio da história da música baiana!

Os blocos começam a passar cedo nesses dias, concentração a partir de 11h da manhã, ou seja, calor do cão, vale usar protetor solar, óculos de sol e roupas cômodas!

Circuito Dodô (Barra/Ondina)

Conhecido também como circuito alternativo, é mais curtinho – 4km, feito em cerca de 4h, sai do Farol da Barra e percorre toda a orla até Ondina! Os melhores dias costumavam ser quinta, sexta e sábado, entenda “melhores dias” quando passam a maior quantidade de artistas consagrados da axé music, ou seja, quando no mesmo dia passa Chiclete, Timbalada, Asa, Eva, Ivete, mas ultimamente os blocos estão migrando para a Barra, então de quinta a terça tem essas grandes atrações passando por aí!

Circuito Batatinha (Pelourinho)

A cara de minha mãe esse circuito, aliás mamys é uma baiana que nunca gostou de carnaval, #pode isso?

Aí é o lugar mais light da folia, onde você vê mais crianças e idosos “pulando” atrás das bandinhas de fanfarra, se divertindo ao som das marchinhas de carnaval de outros tempos, nostálgico!

sábado, 12 de novembro de 2011

Tour grátis em Buenos Aires!

Meu povo, recentemente descobri que Buenos Aires já tem o seu free tour, e olha adorei mesmo saber!

O "free tour" é uma idéia muito bacana, conheci quando viajei para Europa, é comum na maioria das cidades lá, e pra quem ainda não conhece, basicamente é um recorrido de cerca de 3h feito a pé com guias locais - geralmente são guias bem mais simpáticos que os guias tradicionais de agências - que contam a história da cidade, os grupos são grandes, entre 15 e 30 pessoas e o bacana é que é o público costuma ser bem diversificado, tem viajante latino, europeu, gente jovem, não tão jovem, etc, e eu adoro essa mistura rs!

Acho uma ótima forma de ter uma visão geral da cidade e conhecer a história, tudo faz mais sentido quando temos o conhecimento, né? Depois vale voltar nos lugares que mais chamaram sua atenção e aproveitar no seu tempo, porque mesmo nesses tours mais alternativos o povo passa rápido pelas atrações! Ah, e os tours temáticos são os meus preferidos! ;)

Não é exatamente grátis, no final do passeio você fica a vontade para contribuir com a quantia que achar digna e ninguém faz cara feia! Na Europa costuma-se pagar entre 5 e 10 euros cada pessoa...

Ainda não conheço esse tour para recomendar - se alguém já fez, deixa a opinião aqui, please! - vi comentários a respeito na internet e achei válido compartilhar com vocês porque curto muito a proposta, meu sonho era fazer isso e o Pub Crawl em Salvador rs!

Ponto de encontro: às 11h na Plaza del Congreso - Av. Rivadavia y Rodriguez Peña. 
Não precisa reservar, só chegar na praça e se juntar ao grupo - os guias usam uma camisa do Free Tour e sempre tem plaquinhas!

Mais informações aqui!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Montevideo / Montevidéu

Daí que desde janeiro estou morando em Montevideo e ainda não tinha postado nada novo sobre a cidade! Para compensar o “atraso” farei uma série de posts com os lugares que mais gosto aqui!

Antes de mudar de mala e cuia, já havia visitado a cidade em 2 oportunidades, nenhuma dessas viagens foram no verão e se apenas tinha gostado nas outras vezes, agora posso dizer que a cidade ganha muito mais vida sem o frio do inverno e um lugarzinho destacado em mi corazón rsrs, tudo parece mais vibrante e me vejo vivendo aqui tranquilamente...

Tranquilidade... essa é a palavra! Isso já tinha sentido desde a primeira vez que cheguei aqui, de cara você sente que a cidade tem um ritmo mais ameno e cordial, se você está de férias buscando freneticamente 'paquera e agito' todos os dias da semana, talvez o destino mais indicado seja Buenos Aires ou Punta del Este, mas se está disposto a conhecer lugares bacanas, descansar, comer e beber bem, sair no fim de semana, aqui é o lugar!

A maioria das opções de hospedagem estão na Ciudad Vieja, Pocitos, Punta Carretas e Carrasco, eu vivo em Pocitos e adoro o bairro, tem várias opções de restaurantes, bares e as ramblas para dar um passeio! 

Os uruguaios tem uma relação de amor com as ramblas, e eu também, é muito comum no fim de semana ver as pessoas pescando – ou pelo menos tentando, famílias inteiras sentada conversando e tomando mate, crianças brincando, gente se exercitando, tomando sol e no verão o povo se joga mesmo na “praia” – na verdade é o enorme Rio de la Plata.

Dica: Punto Berro Hostel em Pocitos.

A Ciudad Vieja concentra a maior parte das atrações históricas é claro, e também tem bastante restaurante e bares legais, é uma boa opção de hospedagem, mas eu particularmente não gosto muito de andar por lá em determinadas áreas a noite, é uma zona mais comercial.

Carrasco apesar de ser uma área legal, acho um pouco distante para uma primeira visita à cidade, não recomendaria hospedar-se lá porque geralmente temos pouco tempo e muita coisa para ver, mas se já conhece a cidade e/ou tem tempo suficiente (um bus de Carrasco ao Centro por exemplo demora uns 45 min), é uma zona linda e próxima ao aeroporto!

É bem fácil andar de bus pela cidade, a tarifa custa 18 pesos uruguaios, o táxi também sai bem barato, nunca paguei mais de 150 pesos em corridas dentro da cidade (Pocitos – Ciudad Vieja / Pocitos – Punta Gorda).

táxi no aeroporto tem um preço tabelado mais caro que o preço real da corrida, dentro do aeroporto você pode pegar este táxi que custa mais que um táxi normal,   busque o guichê do Taxi Oficiales e pague com dinheiro ou cartão de crédito,  tarifas aqui.  
Há também um serviço de van dessa mesma empresa, uma opção mais econômica para quem viaja sozinho!

E o clássico busão! A parada fica logo na saída do aeroporto e a passagem custa 32 pesos, não tem muito espaço para colocar bagagem (os domingos de verão pode ser complicado conseguir espaço! O bus vem lotado do litoral), o bus DM1 passa aí com destino a Pocitos e Punta Carretas - tem parada próxima aos shoppings desses bairros.

Dica: esse site é super útil para saber qual bus pegar para se locomover na city .

A cotação nos aeroportos tende a ser desvantajosa, portanto sempre recomendo trocar apenas o necessário para o primeiro dia e depois buscar cambios mais favoráveis pelo centro. 

Em Montevideo tem a rede Abitab e Redpagos que são como nossas lotéricas da caixa, tem em toda esquina, paga-se contas, compra-se ingressos de shows e aqui faz-se também cotação de moedas! 
Sempre troco dinheiro em ambas e têm cotações iguais as do banco e casas de cambio do centro, além de encontrar nas ruas, também estão nos shoppings e na rodoviária. 
O real costumava valer 10,80 pesos, mas com essa alta louca do dólar  essa semana está rondando entre 9,20 e 10 pesos, #assimnãoda!

Montevideo para viver é uma cidade cara, eu fico impressionada com o preço do aluguel e da comida nos supermecados,  mas você caro leitor, felizmente não irá notar isso porque quando estamos “turistando” esses pequenos detalhes do cotidiano passam despercebidos e comer num bom restaurante aqui sai mais barato que comer num bom restaurante no Brasil, opção é o que não falta!

Tem uma zona gourmet bem interessante em Pocitos, na Avenida Luis Herrera e 26 de marzo, perto do Shopping Montevideo e das torres gêmeas, são restaurantes e pubs bem frequentados, por aí você vai encontrar o Restaurante Gardenia – sim, da mesma rede de SP, Francis, Paninis, La Vaca Parrilla, Asia de Cuba, e para bailar tem o Pony Pisador (que também tem na Ciudad Vieja).

Balada aqui ou baile para eles começa tarde, lá pras 2h da manhã, se quiser algo mais cedo, recomendo muito o pub irlandês com comida mexicana chamado Burlesque!

Eu sou chegada numa feira, e em Montevideo há muitas, a mais famosa é a Feira de Tristán Narvaja que acontece aos domingos pela manhã, diz a lenda que se pode encontrar de t-u-d-o aí! 

Tem também a feirinha da Vila Biarritz e a do Parque Rodo

Adoro o Parque Rodo, é um espaço tão bacana, excelente opção para quem viaja com criança, tem a feirinha – inclusive com artigos compráveis  – pedalinho no lago, espaço pra sentar e fazer piquenique (tem coisa mais fofa?) e claro, parque! 
Tem um lado que tem só brinquedos para os pequenos, tipo até 6 anos, e o outro lado com vista a rambla com os brinquedos para “gente grande” rs. 
Acho o pôr do sol aí – em frente a Playa Ramirez - lindíssimo,  vale a pena o passeio no final da tarde e tem bastante lugar para comer, como por exemplo a pizzaria Rodelu e o resto pub Rumi na área em frente a rambla, já próximo ao lago do pedalinho tem um restaurante espanhol aconchegante chamado La Carola.

O menu tipico daqui é o asado, a parrillada faz a cabeça dos uruguaios mesmo! Quando cheguei não comia as “coisas diferentes”, leia-se entranhas e linguiças de sangue, porque tinha nojinho, hoje em dia já me arrisco na morcilla, mas ainda não vou no chinchulin, rs! 

Calma, você pode pedir a parrillada completa tradicional ou pedir que troquem alguns itens, eu fazia assim, pedia a minha sem morcilla e chinchulin, por exemplo! Há inúmeras Parrilladas na cidade, no Mercado do Porto você terá bastante opção, é um lugar bem turistão, talvez não seja a melhor carne da cidade, mas é um lugar agradável! 

Algumas parrilladas: Rara Avis, Locos de Asar, La Perdiz, Parrillada del Solis (é famosa, mas eu não curti, certo que não comi carne, comi uma tabua de frutos do mar a la parrilla e foi decepção!). 

Ao lado do Mercado do Porto, tem o Museu do Carnaval, eu gosto desse museu, é pequeno, a visita é rápida e a entrada é barata, aí você vê a história do candombe e das murgas. 
O Uruguay tem o carnaval mais longo do mundo, no verão é possível assistir a apresentações de diversos grupos de murgas e candombe, o candombe é mais percussivo, uma batucada gostosa de dançar – eu sou baiana e amo percussão! A murga já é um espetáculo mais teatralizado, se passar por Montevideo de dezembro a fevereiro, seguramente terá algum evento desse para ir!

O Teatro Solis é lindo, recentemente tive a oportunidade de assistir uma peça na sala principal e foi incrível  e o melhor é que tem um preço super acessível  recomendo mesmo que passem por essa experiência, é mais interessante que a visita guiada durante o dia! 
Ah, e o café do teatro é aconchegante, vale uma paradinha!

Ufa, por hoje fico por aqui! ;)

                                        Parque Rodo - Rambla Playa Ramirez.

domingo, 4 de setembro de 2011

Buenos Aires: pontos turísticos clássicos! Parte 3


7) Recoleta

Aí outro bairro que adoro, é uma ótima opção de hospedagem! Na Recoleta você vai encontrar vários pontos turísticos também, desde o cemitério ao Hard Rock Café!

Ao lado da faculdade de Direito - que é lindíssima – está a famosa Floralis Generica, aquela flor de metal que tem um sistema que abre e fecha as pétalas de acordo a hora do dia, li por aqui pela internet que esse sistema está desativado e a flor está constantemente aberta agora, não sei se procede a informação, independente disso acho que vale a pena a visita à faculdade e flor.

Eu sou suspeita para falar porque estudei Direito e frequentar a UBA foi um desejo por muito tempo! Aliás para quem estuda Direito e quiser comprar livros jurídicos, perto do Obelisco tem a Praça do Judiciário e a zona do Tribunales onde é possível encontrar livrarias especializada em artigos jurídicos! 

E para quem ama livros Baires é uma perdição, muitas livrarias imensas, dá pra passar horas buscando livros, lendo, etc…

Faculdade de Direito UBA.

O Cemitério da Recoleta está em todos os guias e roteiros clássicos, eu confesso que a primeira vez fui meio desconfiada, onde já se viu cemitério ser ponto turístico!? Achava que seria um passeio no mínimo mórbido, mas me surpreendi, não vou dizer que foi divertidíssimo rs, mas foi interessante, lá estão enterradas as principais figuras da história argentina, dentre elas Evita Perón, o mausoleo mais visitado creio, e confesso que só encontrei porque haviam muitas pessoas fotografando.


Próximo ao cemitério está o Hard Rock Buenos Aires, no shopping Buenos Aires Design, pra quem é fã da rede, é uma boa pedida!

E aos domingos acontece a Feira da Recoleta na Plaza Francia, aquela entre o cemitério e o shopping. Eu curto bastante essa feira, aí vende várias coisinhas compráveis e se apresentam vários artistas, gosto muito da idéia de passar o dia na praça, não temos muito essa cultura, mas lá fica bem cheio, vai criança, idoso, jovem, cachorro, no verão o pessoal aproveita para tomar sol e tem apresentações de bandas – algumas muito boas mesmo! – e artistas fazendo mágica, contando piada, etc.

Ainda na Recoleta, é possível encontrar o Museu Nacional de Belas Artes, que abriga obras de artistas argentinos e de artistas como Picasso, Goya, Rodin, dentre outros.

8) Palermo

Outro bairro querido rs! Palermo é cool, tem cafés e restaurantes charmosos e é um bairro tendência, para quem curte design e coisitas moderninhas, vai encontrar bastante opção aí! 

O bairro tem uma valorização imobiliária que gera mil “ramificações”: Palermo Viejo, Chico, Soho, Hollywood, enfim… por aí você pode encontrar os Bosques de Palermo - lindo, Jardim Botânico, Jardim Japonês - fofo, Planetário e o Malba – onde está a famosa obra Abaporu da brasileira Tarsila do Amaral!


Jardim Japonês.

A noite a Plaza Serrano bomba com seus bares um do ladinho do outro, só escolher seu preferido e se jogar! ;)

9) Caminito

Acho que o ponto turístico de maior controvérsia, muita gente fala da insegurança do bairro, eu particularmente nunca tive problemas aí e recomendo a visita, porém atenção nunca é demais!

Vá consciente do circo armado para pegar turista, o pessoal vai importunar para comer no restaurante que trabalha, os dançarinos para tirar foto, etc...

Pela zona está o estádio La Bombonera, tem opções de visitas às dependências, foi um passeio que fiz para acompanhar o grupo que estava e acabei curtindo, visita-se o vestuário, sala de imprensa, um pedacinho do campo, o mini museu e lojinha do clube.

 10) Tigre

Outro passeio controverso, muita gente reclama de ser entendiante! Eu curti e acho um desperdicio pagar uma agência para fazer esse passeio, além de ser super fácil ir por conta, é infinitamente mais barato!

Para chegar é só pegar um metrô até a estação Retiro – linha C – e se dirigir à estação de trem que está ao lado e comprar a passagem de trem até Tigre que é a última estação!


Chegando em Tigre, tem o pier com os barcos que fazem o passeio pelo rio, umas casinhas de madeira ao lado do Mc Donalds vendem os tickets: tem uns turísticos grandes que dão uma voltinha de uns 40 min, você passeia pelo delta tigre, vê as lindas casas dos hermanos ricos, a galere nas prainhas que formam às margens do rio – tem até umas colonias de férias, pousadas aí
É possível também pegar um barquinho mais modesto, mais barato e que faz o transporte do povo que veraneia lá, passa a cada meia hora e com o ticket você pode parar onde quiser e depois tomar outro barco de volta, foi esse que eu fiz e me parece bem mais legal, pois dessa forma pude pegar o barquinho toc-toc, passear pelo rio e parar num restaurante, comer um tira-gosto com uma cervejinha quase gelada (impressionante como não existe o conceito estupidamente gelada na Argentina!) a beira do rio e depois voltar bem alegrinha, sem nada de tédio.


11) La Plata

Tem bastante tempo livre na capital porteña? Que tal um passeio por La Plata? Falei da cidade aqui!

Aproveitem! Espero escrever ainda algo fora desse "circuito clássico", tem muita coisa bacana em Baires fora dessa rota tradicional!

Abraços! ;)

Buenos Aires: pontos turísticos clássicos! Parte 2

3) Torre dos Ingleses ou Torre Monumental

Em Retiro está localizada a Torre dos Ingleses ou Torre Monumental - depois da guerra das Malvinas dizem que voltaram a usar o nome original, mas muita gente ainda conhece como a torre dos ingleses! O monumento foi erguido em homenagem ao centenário da Revolução de Maio, era possível subir na torre, mas quando visitei estava interditado.


4) Avenida 9 de Julio e Obelisco

Grande clássico: o obelisco, esse monumento branco gigante erguido na Praça da República, no cruzamento da Avenida Corrientes e 9 de julho, em comemoração ao quarto centenário da fundação da cidade. Também é um importante ponto de encontro para celebrações e manifestações.

A 9 de julio é conhecida como a Broadway Latina, nessa avenida tem inúmeros teatros, diversas peças e musicais em cartaz! O mais famoso e incrível de lindo é o Teatro Colon, que ainda não vi depois da reforma!


5) Florida

Onde se encontra mais brasileiros por metro quadrado rs! 
É uma rua cheia de comércio, cheia de lojas, cheia de gente chata gritando "cambio, cambio", "couro, couro" e querendo te convencer a comer ou comprar em seu respectivo estabelecimento! 
É preciso tomar cuidado com os batedores de carteira comuns de todo centro urbano! Eu nunca tive problema, mas é preciso estar atento. Tem a Falabela, Zara, Todo Moda e um monte de lojinhas para torrar os pesos do bolso rs!

Numa transversal com a Florida, tem a rua Sarmiento onde estão as melhores casas de cambio! Sempre trocava no Cambio America ou Puentes, como ponto de referência deles tem o Banco do Brasil, é só caminhar pela rua e verificar nos painéis onde tem a melhor cotação do dia.

Aproveitando o tema da troca de dinheiro, acho mais vantajoso trocar na Argentina do que no Brasil, no aeroporto a cotação é péssima e na Florida com o pessoal do “cambio, cambio” também não é muito bom, quando chego no aeroporto troco apenas o necessário para passar o primeiro dia até poder ir na rua trocar! 

E em relação às notas falsas, eu pensava que era lenda, mas é fato mesmo! Peguei uma nota falsa uma vez, sorte que foi pouca grana e fiquei com a maior cara de #% quando não aceitaram e disseram que era falsa, portanto, atenção no troco também!

6) San Telmo

Definitivamente amo San Telmo, a primeira vez que fui a Baires me hospedei nesse bairro – no hostel Ayres Porteños – e me encantei, é um bairro boemio, com vários bares, cafés e um clima “tangueiro” rs!

Tem bastante opção de hostel por aí! E dia de domingo acontece uma das feiras mais famosas da cidade, a feira de antiguidades na Plaza do Rego, nunca comprei nada aí, mas acho um passeio legal! 

Em frente a praça tem um restaurante chamado El Balcon que a comida é ótima – pelo menos costumava ser – e aos domingos tem um show lindo de tango, bem simples é verdade, com apenas 2 músicos, 2 casais de dançarinos que se revezam e um casal de cantores, sem aquela parafernália e pirotecnia das famosas casas de shows de tango, mas digo que apesar da suposta falta de recursos o show é emocionante, e o melhor que era gratuito, pagava-se apenas o que se consumia! 
Se alguém tem alguma info recente do lugar, atualiza aqui nos coments! ;)

 Mafalda mais fofa em San Telmo! A personagem 
é criação do cartunista argentino Quino.

Buenos Aires: pontos turísticos clássicos!

Bom, acho que atualmente Buenos Aires é a cidade mais visitada por brasileiros no exterior, a proximidade, preços e cambio convidadativos facilitam - e muito! - essa invasão em terras hermanas e vamos combinar que a cidade tem seus encantos, eu poderia voltar mil vezes a Bs As e descobrir mil coisas novas a cada viagem!

Minha primeira viagem "pra fora" rs foi exatamente para Argentina e Chile, 3 anos atrás e o roteiro foi Bs As - Mendoza - Santiago - Viña del Mar/Valparaiso, já exclui esses relatos aqui do blog porque eram bem diário de adolescente e tinha muita info desatualizada!

Daí respondendo um comentário da Marcella no post das escolas em Baires, me surgiu a idéia de fazer um resumão com os pontos turisticos clássicos da capital porteña, eu sei que eles já são mega batidos, mas desde que apaguei os posts antigos, não consta quase nenhuma info de "mi Buenos Aires querido" aqui, espero escrever dicas mais interessantes depois! :P

Como disse, Buenos Aires é uma cidade com muitas opções, portanto essa especie de listinha básica é apenas exemplificativa e estará sempre aberta - ui! - para novos comentários, dicas, etc, então participe também nos coments! ;)

1) Plaza de Mayo, Casa Rosada, Catedral Metropolitana e Congresso.

 A Casa Rosada é a sede da presidência da República Argentina e é assim chamada pela cor aproximadamente eerrr... rosa, #cêjura? 
Abriga também o Museu da Casa do Governo e já vi algumas exposições fotográficas acontecendo lá. Dizem que a cor rosada é porque na época as tintas mais baratas eram feitas a base de sangue de vaca, dizem também que seria uma mistura do vermelho e branco, uma alusão às cores de partidos políticos.


Em frente a Casa Rosada está a Plaza de Mayo, centro da vida politica porteña, onde é comum as pessoas se juntarem para celebrar ou protestar, aliás os argentinos protestam muito, seguramente você vai passar por alguma manifestação social nos seus dias de férias por lá! 
Essa praça comemora a Revolução de Maio de 1810, que iniciou o processo de independência das colônias da região do sul da América do Sul - thanks, Wikipédia! ;)

Uma das experiências mais marcantes que tive aí foi o encontro com as mães da praça de maio, não sei dizer qual dia da semana elas se reúnem, foi impactante ver o movimento vivo, ver a história daquelas famílias com as fotos e relatos dos seus filhos desaparecidos durante o período da ditadura militar, acho que todo mundo que tiver a oportunidade de conhecer mais a respeito, deve aproveitar!

Simbolo das mães da Plaza de Mayo.

Ainda nessa área, em volta da praça, está a Catedral Metropolitana de Buenos Aires, de estrutura neo- renascentista, neo- barroca - aham, Claudia! - abriga no interior o mausoléu do general San Martin, importante figura no processo de independência, em Buenos Aires há bastante homenagem, praça, estatua,  às figuras que lutaram pela libertação espanhola.

Ao final da Avenida de Mayo está o Congreso de la Nación Argentina, uma das construções que mais gosto em Baires!


2) Puerto Madero

Puerto Madero é a zona dos novos ricos da cidade, a área foi totalmente revitalizada nos últimos anos e hoje reúne vários restaurantes carinhos e boates. 
É aí onde fica a "Puente de la Mujer". Tem também uma das sorveterias Freddo que eu não resisto e tenho que fazer uma parada estratégica para apreciar o lugar com um sorvetinho de doce de leite delicia! ;)

Puerto Madero e Puente de la Mujer

Não sei o que acontece que t-o-d-o brasileiro em Baires pela primeira vez vai a churrascaria Siga la vaca em Puerto Madero - eu fui! - é uma das poucas com o sistema de rodizio, mas a qualidade não é das melhores! 
Acho que vale mais a pena provar o famoso churrasco argentino em outro lugar, desapegue do "comer até morrer" dos rodízios e aprecie um bom bife de chorizo ou qualquer outra coisa numa "parrillada" tradicional que tem bastante pela cidade, e ó os pratos em geral são bem servidos em qualquer lugar!

Aí pela região tem a reserva de Puerto Madero, não tem nada demais para quem está com poucos dias disponíveis, mas para quem vai ficar mais tempo na cidade e quer sair um pouco da rotina do caos urbano é uma boa pedida! 
Alugam bicicletas e é grande o suficiente para pedalar até cansar, tem também uns espaços para fazer piquenique com vista para o Rio de la Plata!

terça-feira, 17 de maio de 2011

10 coisas para fazer em Salvador!

Como o post que mais faz sucesso aqui no blog é sobre Salvador, minha terrinha querida, resolvi fazer uma listinha de 10 coisas “imperdíveis” na cidade sob o meu ponto de vista, claro!

Adianto que não são dicas exatamente “turísticas” nem sobre os lugares mais badalados do momento (que em Salvador mudam numa velocidade impressionante, o estabelecimento bacana de hoje, pode ser totalmente over amanhã!), muitas coisas estão fora do circuito turístico clássico (outras dentro!):

1)Centro histórico de Salvador: além do famoso Pelourinho, há outra zona bem interessante da parte histórica chamada Santo Antonio, tem muito hotel/pousada também, acho que até melhores que no Pelourinho, e restaurantes conhecidos pelos petiscos delicinhas.

Ah, na visita ao Pelourinho, não deixe de visitar a belíssima Igreja de São Francisco.

2) Mercado Modelo e Forte de São Marcelo: para quem curte artesanato local, vai encontrar muita coisa aí (eu só acho os artesanatos bem parecidos, inclusive nos preços, mas é tudo tão perto – o Mercado está em frente a entrada/saída do Elevador Lacerda - que eu recomendaria ao menos uma voltinha).

E o forte por sua vez, fica bem em frente ao Mercado Modelo (o forte está dentro do mar, pega-se um barquinho no terminal, se não me engano custa 10 reais), de lá você tem uma vista linda da parte histórica e da cidade alta de um ângulo pouco explorado pelos viajantes, rende ótimas fotos!

3)JAM (Jazz no MAM - Museu de arte Moderna, na Avenida Contorno):  o MAM é muito bacana, é um museu que conta com um acervo de esculturas a céu aberto, um visual incrível à beira-mar e aos sábados o por do sol fantástico é embalado ao som de jazz ao vivo por apenas R$5. 

Tem barraquinhas vendendo cerveja e acarajé, ambiente super despojado, esqueça salto e make up elaborado, é realmente imperdível!

4) Ainda pela na cidade baixa, que tal passear pela Ribeira, Bomfim, Mont Serrat, Humaitá? Aí você vai ver uma Salvador, digamos menos moderna, são bairros mais antigos, no passado eram bairros tradicionais e hoje conservam lindas paisagens e em muitos pontos o por do sol também é lindo de ver.

Acho o Forte Montserrat fantástico, está localizado em Humaitá (já coloquei algumas fotinhas aqui. Evite ir domingo, a região fica lotada de gente, eu gosto de exclusividade e tranquilidade, baby! rs).

A Igreja do Bonfim dispensa maiores comentários, símbolo maior da fé baiana e do nosso sincretismo religioso, em janeiro as escadarias da igreja tornam-se palco de uma das maiores festas populares, a lavagem do Bonfim.

Se puder, pegue o barco na Ribeira para o subúrbio e vá comer uma moqueca ou qualquer outro quitute tipicamente baiano no restaurante Boca de Galinha (famoso em toda Salvador– sempre há filas, creio que só funciona de sexta a domingo, linda vista para a Península Itapagipana, mas extremamente simples), na volta se delicie na sorveteria da Ribeira, a mais famosa da cidade, prove os sabores exóticos dos sorvetes de todas as frutas tropicais.

5) Farol da Barra, Morro do Cristo e Porto da Barra - a praia do Porto é a minha preferida durante a semana (de novo digo que fica impossível no final de semana, em especial no domingo), águas tranquilas, sem ondas, é possível alugar cadeiras e guarda-sol.

E o por do sol no Cristo ou no Farol também vale muito a pena, no farol tem que ir para a parte do fundo, é lá onde as pessoas se concentram e assistem ao espetáculo: no final há aplausos, acho digno rs!  

6) Largo de Dinha no Rio Vermelho – escolher o “melhor acarajé” em Salvador é difícil, os 3 mais recomendados são o de Dinha, Cira e Regina. Esqueça a dieta, experimente os 3 e escolha o seu!

Isso do acarajé aliás é um tema importante, não comam qualquer um na rua, principalmente se nunca provaram, não tem nada pior que um acarajé mal feito, sem contar que é uma comida pesada e comer de qualquer tabuleiro da rua pode deixar péssimas recordações, se é que me entendem…

Voltando ao largo de Dinha, eu era cliente fiel da simpática pracinha, trabalhava ali do lado e era caminho para ir a faculdade, ou seja, parada fácil para o happy hour com as amigas, ficavamos de bobeira tomando uma cervejinha e comendo um acarajé. #bonstempos

É uma praça com vários bares simples, cadeiras e mesas de plástico, hippies e vendedores ambulantes por vezes te importunando, mas pra mim tem um certo encanto, não sei, gosto do astral dali e não tem muito como explicar.

Em volta da praça há muitos bares de diferentes estilos e tribos, você escolhe o que mais te apetece. O Rio Vermelho é o bairro mais boêmio de Salvador! Por aí tem o pub Twist – concorrido, “da modinha”; o bar A Padaria, também bastante apreciado pela juventude local, sempre cheio, bonitinho e barulhento; o bar Postudo mais alternativo e com uma linda vista ao mar do Rio Vermelho de onde sai os barcos na festa de Yemanjá; os bares de samba Ali do Lado, São Jorge e Jequitibar, etc.

6.1) Boteco São Jorge e Jequitibar (bar do teatro SESI), adoro esses dois bares de samba no Rio Vermelho, por isso os colocarei em destaque rs! São bonitinhos, sem aquele clima fake dos lugares “da modinha” com as menininhas e menininhos iguais – tô ficando velha, chata e repetitiva com isso, sorry!

O Jequitibar tem um público menos jovem, mas não menos animado, tem que chegar cedo para garantir lugar, o espaço é pequeno e às 21:30 já não entra mais ninguém, sou fã da banda de sábado!

O São Jorge tem público de toda faixa etária, o bar é temático de samba, um pedaço do RJ em Salvador.

6.2) Borracharia, também no Rio Vermelho – a-m-o! Provavelmente será a balada mais inusitada – e divertida - que você irá em Salvador, é uma danceteria diferente de tudo, de dia é realmente uma borracharia e de noite vira boate (atenção meninas, o piso é irregular e se não quiser dar de cara com um dos pneus do ambiente, melhor deixar o salto agulha na mala e ser feliz com uma sapatilha ou um salto que te dê estabilidade). 

Set list bem variado, tem músicas de todo tipo, antigas, novas, remixadas, uma delícia! Ótimo DJ, gente descolada, começa a bombar tarde levando em conta os parâmetros baianos – 1h da manhã, eu sempre ia dia de sexta-feira, é bem concorrido e muitas vezes os desavisados já me pararam na fila e perguntaram o que acontecia “ali”, porque tinha tanta gente na porta de um borracharia a noite rs.

6.3) Saindo do Rio Vermelho, mas ainda com bares/restaurantes, se a ideia é dançar forró, indico o restaurante Sertão Bom, com decoração toda rústica, que parece mesmo o sertão, tem forró da melhor qualidade toda semana, de quinta a sábado. 

E recomendo se jogar no melhor da comida nordestina aí, do farto café da manhã ao almoço, vale muito a pena mesmo!


7) Baiano adora um caranguejo, nada melhor que juntar uns amigos e ir tomar uma cervejinha numa tarde de domingo de frente para o mar, quebrando caranguejo e “resenhando” a semana! 

Tá, eu sei que dá trabalho, nem todo mundo tem habilidade com os bichinhos e você ainda sai do restaurante com fome, mas eu poderia dizer que isso está arraigado na nossa cultura e é uma delicia rs.

Bares para comer um bom caranguejo com pirão tem vários pela cidade, em Pituaçu estão os mais famosos, eu adoro o Cabana do João/Cabana da Celi.

8) Passar uma tarde em Itapuã. Isso lembra minha infância, meus pais sempre me levavam para as praias aí, minha maior lembrança é na Rua K.

Visite a pracinha de Vinicius de Moraes e experimente o outro acarajé do top 3: o acarajé de Cira (muito bom mesmo!) e se ainda tiver um espacinho prove a tapioca também.

Por ali está outro ponto turístico que no passado estava em todos os cartões postais: a lagoa do abaeté, não recomendo a visita pelo simples motivo de me sentir insegura e achar que o lugar está totalmente abandonado – alguém me corrija se a situação mudou!

8.1) Aí nas redondezas, aproveite para conhecer as praias mais afastadas do centro da cidade, são lindas, tranquilas, costumavam ter grandes barracas/restaurantes de praia, mas recentemente a prefeitura resolver derruba-las, não entrando no mérito político-social da questão, agradeça que ainda tem a praia para desfrutar.

Recomendo Stella Maris, Ipitanga e Praia do Flamengo.

9) Dique do Tororó, essa área foi revitalizada e hoje é onde ficam as esculturas dos orixás, independente da religião, é um lugar bacana de se conhecer se tiver tempo... tem um restaurante legal também de comida nordestina chamado A Porteira e a pizzaria Cheiro de Pizza, se quiser ainda pode fazer o passeio de barco e pedalinho, é baratinho, coisa de R$ 5,00.

10) Feira de São Joaquim, essa daqui é pra viajante que adora uma feira popular, para se jogar nesse mundinho o nível de frescura tem que ser 0!

A feira é enorme e vende tudo que você possa imaginar, muita fruta a preços módicos, artesanato – produtos de madeira, cerâmica  folhas para banhos e umbanda, etc, e se tiver coragem experimente uma das comidas pesadíssimas de lá (sarapatel, feijoada, dobradinha e me conte depois porque eu nunca tive rs! Não por achar que estaria estragada ou ruim, mas acho extremamente pesada).

Tenham muita atenção com seus pertences, a feira ficou relativamente pop, já foi tema de exposição fotográfica e de teses acadêmicas  muitos turistas se empolgam com as fotos pitorescas e os espertinhos de plantão se aproveitam.

Extra: O litoral norte está a poucos quilômetros da capital baiana, tem lugares lindos, sossegados e  outros badalados como Praia do Forte, Imbassai, Barra do Itariri, Conde, Jacuipe, há ônibus saindo da rodoviária de Salvador para esses lugares, a viagem não durará mais de 2h e se tiver em grupo ou com orçamento folgado, pode ficar mais prático alugar um carro e sair percorrendo essas belezuras praieiras!

Boa viagem!

Abraços! :)

Fotos Londres

















segunda-feira, 11 de abril de 2011

Fotos Berlin





Fotos Paris

Na fila para subir ainda de dia...



Plaquinha da famosa avenida!



Jardins de Versalhes:



Palacio de Versalhes:



Um pouquinho de Montmatre (não deixem de fazer o tour pelo bairro com o pessoal do Sandemans - 12 euros o passeio e vale muito a pena!) - Moulin Rouge!



Uma vontade de voltar aí na primavera!



Muvucão da Monalisa! :P



Outro videozinho mal feito rs, juro que aprenderei a filmar! Muito vento lá em cima, linda vista, né? ;)

video