segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fotos Portugal - Lisboa

Torre de Belem:

Mosteiro dos Jeronimos:

Portinhas em Alfama:

A "igreja branca imponente" que estava fechada:

Castelo de São Jorge:

Vista ao lado da Igreja de Santa Luzia:


Meu primeiro por do sol em Lisboa (aí é em frente a Praça do Comércio):


Praça do Comércio:

Videozinho tosco do passeio no Rio Douro em Porto:


video


Fotos Portugal - Porto e Aveiro

Aveiro:



Vista do Hostel em Porto:


Vila de Gaia:
Porto a noite, é lindo!

Portugal

Dicas gerais!

Hostel em Lisboa: Yes Lisboa, ótima localização, dá pra ir a pé aos principais pontos turisticos da capital, confortável, moderno e limpo, acho que o melhor preço, 13 euros quarto (grande) para 6 pessoas, tem bons lockers embaixo da cama com chave eletrônica, serve jantares todas as noites por 8 euros!

Coisa chata do hostel: o staff! 
Tirando Mustafa, um egipicio, achei os outros 2 portugueses da recepção muito malas, um eu perguntei se tinha que deixar a chave porque em muitos lugares tem que deixar, e ele disse que era obvio que não já que aquilo era uma pulseira, senti que o tom foi meio uma piadinha para brasileiro burro, mas ok, respirei fundo e sai com a tal pulseira! 

O outro me irritou ainda mais, perguntei como fazia para ir para Aveiro e ele disse de trem, ora pois! Eu falei: quero saber como chegar na estação, aí ele disse de metrô! 
Certo, não conheço a cidade e não é tão difícil dar instruções quando se trabalha com isso, no final ele explicou que pegava o metro a 2 quadras e descia na estação Apolonia. No dia seguinte só para confirmar perguntei a Mustafa que embora ainda aprendendo português  foi um querido, saiu na rua comigo e explicou tudo direitinho na maior simpatia e bom humor de verdade... bem, fugiu do propósito objetivo isso aqui, mas precisava contar isso rs!

Passeios clássicos em Lisboa: entrada Castelo de São Jorge = 3,50 euros (meia); Torre de Belem e Mosteiro dos Jerônimos.

Hostel em Porto: Pousada da Juventude - definitivamente não tem cara de hostel, é muito mais hotel, silencioso, enorme e tem uma vista linda para o rio, mas não fica localizado no centrão turístico e  é uma boa caminhada. O locker não tranca, o quarto é pequeno, a cama fazia muito barulho quando alguém se mexia ou subia no beliche e o chuveiro cai água para todos os lados. Também serve almoço e janta por 5, 6 euros.

Passeios que fiz no Porto: passeio de barco no rio douro 50 min = 10 euros; visita a cave Sandeman = 4 euros.

Passeio que fiz em Aveiro: passeio de barco pelos canais 40min = 5 euros.

Portugal em regra é barato, em Lisboa gastava em média 8 euros para almoçar, em Aveiro comprei o prato do dia com bebida no shopping grandão de lá por 7 euros, em Porto foi mais caro, o restaurante era meio chiquezinho, foi 12 euros a francesinha com refrigerante.

Passagens de trem: Lisboa - Aveiro 16,50 euros; Aveiro - Coimbra 4,40 euros; Coimbra - Porto 11 euros; Porto - Lisboa 20 euros... no site dos combios o preço estava um pouco maior.

As coisas no mercado são muito baratas e tem tanta coisa prática, gostosa! Vinhos são bem baratos, a partir de 1 euro, latinhas de cerveja a partir de 0,30 centavos, muita opção de queijos, frios, etc e acredito que todos os grandes mercados vendem comida pronta - entrei em 2 e tinham - sai bem barato e a cara é ótima, o quilo custa 6/8 euros.

Tem muita comida tipica deliciosa, provei a francesinha do Porto, bacalhau com batatas em Lisboa, arroz de pato em Aveiro, pastelzinho de Belém/Nata, e ovos moles, esse último não gostei, parece ovo cru! Experimentem!

Trem em Portugal é comboio e ônibus é autocarro

E se alguém sair de Lisboa para Dublin, fica a dica que NÃO precisamos de visto para entrar no país, perdi uns 10/15 minutos na fila do check in porque o funcionário da Aer Lingus cismava que eu não poderia viajar porque precisava de um visto prévio, eu dizia que não, ele me mostrava um documento que dizia que era necessário, até que ligou para alguém da cia que retornou depois dizendo que eu poderia embarcar, tenso!

Comprei o guia "O Viajante Independente na Europa" e não curti muito, as informações que encontrei nos blogs foram muito mais uteis, vou abandoná-lo por aqui, se você não tiver tempo para buscar na net acho que vale a pena comprá-lo.

Sobre a imigração, levem TODOS os documentos necessários: passagens de ida e volta para o Brasil, passagens dentro da Europa, reservas de hostels ou endereço da casa onde vai ficar, cartão de crédito, uma quantia em dinheiro compatível com os dias que vai ficar viajando (pode ser VTM), seguro de 30 mil euros e mantenham a calma, você é turista e não bandido, e por mais chato que seja os oficiais estão fazendo o trabalho deles checando essas informações.

Em Madrid me perguntaram se era a primeira vez, o motivo da viagem, quanto tempo ia ficar, quando disse 2 meses senti que o cara ficou alerta e aí perguntou quanto eu tinha de dinheiro, mas não pediu para ver, perguntou se tinha cartão de crédito e onde ia ficar, pediu para ver as passagens e reservas apenas, mostrei o endereço da casa em Dublin e a reserva em Portugal e Roma, únicas que eu tinha, ele quis saber das demais, eu disse que ia reservar as outras enquanto estivesse em Dublin.

Ele me perguntou tudo de novo e trocou o que eu tinha dito, disse "então você fica 3 semanas em Berlin", eu corrigi "não, em Dublin", perguntou ainda se não era muito caro para mim (afinal nós somos apenas pobres latinos miseráveis,  tive vontade de dizer que era rycaaa), se viajava sozinha e se não tinha medo e aí disse "ok, pode seguir!", tudo em espanhol.

Quando cheguei em Lisboa passei pelo controle de bagagens, o cara só confere o nome e origem da mala, ele pediu para ver minha mochila, confesso que fiquei irritada porque não é todo mundo que passa por esse "controle", pra mim foi pela procedência Brasil. 
Fui para a sala ao lado e coloquei a mochila na mesa, ele me fez umas perguntas idiotas do tipo "você esteve na Argentina?", bom isso consta no meu passaporte, "tem família aqui? como pode, onde vai ficar todo esse tempo?" (olha o eu sou rycaaaa de novo! Porque já inventaram hotel, pousada, hostel e até couchsurfing no mundo!) e abriu a mochila, saltou um pacote de calcinhas, ele ficou visivelmente constrangido, colocou na mochila de novo e disse "boa viagem, mas tens família aqui"... 

Em Dublin a mulher foi simpática, perguntou se eu falava inglês, eu disse que não e ela fez as perguntas devagar, consegui entender, pedi para repetir o que não entendi, mas ela só perguntou quanto tempo e onde ficaria, o que fazia no Brasil e pediu pra ver a passagem de saída da Irlanda.

Eu consegui viajar carregando APENAS 9kg. MUITO orgulhosa rs! Sabia que ia querer comprar aqui e depois ia sofrer para carregar tudo...

Abraços!

Lisboa

Gostei muito de Lisboa, fiquei 2 dias no hostel Yes Lisboa, quase dentro da Praça do Comércio, há outras opções por ali, achei muito bom porque conheci a maior parte dos pontos turísticos a pé.

De lá com um pouquinho de disposição dá para subir andando e passar pela Catedral da Sé, mais adiante tem a belíssima vista do mirante da Igreja de Santa Luzia, lá tinha um senhor tocando fado, que deu um toque de poesia ao passeio, me deu uma sensação muito boa estar ali escutando aquela música, admirando aquela paisagem, realizando uma coisa que há muito queria e tive uma "vontade danada de mandar flores ao delegado, de bater na porta do vizinho, desejar bom dia, de beijar o português da padaria" rs, e subindo mais um pouquinho já encontramos o Castelo de São Jorge.

Eu amo castelos, não sei, incorpora uma coisa medieval em mim rs, me sinto nos filmes, vivendo uma história, sei lá, eu viajo mesmo! :P

No Castelo de São Jorge conheci 2 brasileiros bem legais e passamos o dia juntos, saimos do castelo e descemos para Alfama, no caminho mais igrejas e uma catedral linda! 

Continuamos descendo as ladeiras, becos similares ao Pelourinho e vimos as mini portas famosas das casas, parecem de boneca e os cortiços com roupas no varais, seguimos andando para a Praça do Comércio e almoçamos por ali, escolhi bacalhau claro rs.

Mais tarde segui sozinha para a Torre de Belem e Mosteiro dos Jeronimos, peguei o ônibus 28 na Praça do Comércio e na volta apaguei no hostel outra vez.

Não fui para balada, andava tanto durante o dia que a noite não tinha disposição para festas e bebidas, um dia fiquei um tempo no bar do hostel, socializei um pouco, bebi umas 3 cervejinhas com meu colega de quarto, um japonês super querido que mora em Paris, a conversa era muito engraçada em "inglês, francês, espanhol, italiano e português", olha o inglês bacana fazendo falta, me pouparia esses micos agora, mas o importante é tentar se comunicar, depois subi para dormir.

Não deu para ir na parte nova da cidade, conheci melhor a parte antiga mesmo, não fui no Parque Expo e Oceanário... se tiver tempo na volta passo lá também!

As belas Porto e Aveiro

No trem a caminho de Lisboa, escrevo minhas primeiras impressões sobre esse mochilão...

A primeira semana em Portugal teve surpresas maravilhosas, comecei pela capital portuguesa, depois fui a Aveiro e dormi em Coimbra na casa de uma amiga que está lá estudando e por fim fui a cidade do Porto.

Simplesmente adorei o Porto e não sei exatamente porque, tendo em vista que o principio da estadia lá foi complicado, fui bancar "a aventureira" e peguei o trem sem reserva ou endereço de hostels, cheguei na estação e o máximo de informação que consegui foi um mapa da cidade.

Peguei um táxi rumo ao cais da Ribeira, área turística que em minha cabeça estaria pipocando de hostels, desci com a mochila e caminhei até não aguentar mais, não encontrava nada, sucumbi a outro táxi (ai meu orçamento!) e pedi ajuda: o taxista me levou para a Pousada da Juventude, a essa altura eu queria qualquer lugar para deixar as coisas.

Fiz o check in, deixei a bagagem e sebo nas canelas, mas com meu senso de direção apuradíssimo,  consegui me perder no caminho mais simples possível, e encarei uma longa caminhada no sentido contrário as atrações do dia.

Aí antes de começar a turistar, já precisava comer e comecei escolhendo bem (comida em Portugal nunca será um problema rs), pedi a famosa francesinha, prato tipico do Porto.

Alimentada rs, segui rumo ao cais da Ribeira e fiz o passeio de barco pelo rio Douro, coisa linda, super romântico. No final do passeio, cruzei a ponte e fui para a Vila de Gaia, que fica na outra margem e é onde se concentra as caves do Porto com os tradicionais vinhos da região.

Eu estava toda apaixonadinha pela cidade, já tinha andado tanto que acabei me metendo em vários lugares com cara de vida normal e gostava muito do que ia encontrando. 

Subi o morro para apreciar a vista lá de cima e depois desci pelos becos que muito me lembravam o Pelourinho. 

De volta as margens do rio, decidi que era hora de experimentar os vinhos do porto no Porto! Escolhi a cave Sandeman, é muito bem estruturada e oferece visitas guiadas. Peguei a última do dia que era no idioma espanhol (mas há em inglês também) às 17:15, e no final, claro, teve a degustação.

O vinho do Porto não é bebida para embriagar-se, pelo menos pra mim não é, e você sai da degustação bem satisfeito. É um aperitivo como um licor, bem docinho, com aroma e coloração que me encantam, estando na cidade não perderia a oportunidade de saber mais a respeito da produção, prestei atenção nas explicações e aprendi várias coisinhas.

Na saída já era noite e pude ver a cidade toda iluminada refletindo no rio, atravessei a ponte e caminhei mais um pouco pelo centro, voltei para o hostel e apaguei para variar.

No dia seguinte caminhei mais pela cidade, chama a atenção a quantidade de igrejas, não entrei em todas, na verdade não sou das que visitam todos os museus e igrejas das cidades, gosto de observar o cotidiano, caminhar, conversar com as pessoas, comer comidas tipicas...

Falando em "conversar com as pessoas", a primeira vista achei o português um ser peculiar, meio ranzinza-reclamão. É claro que também encontrei pessoas muito simpáticas, que me ajudaram na maior boa vontade, e só me deixaram mais dividida sobre a simpatia ou falta de simpatia dos portugueses rs. 

O  que não me deixou dúvidas mesmo foi o potencial turístico do país, não esperava encontrar tanta coisa bacana e digo sem medo que vale incluir Portugal num roteiro pela Europa, sim.

Voltando as cidades, não conheci Évora, talvez na volta quando ficarei mais 2 dias no país, dê um pulo lá, mas agora estou mais tentada a ir em Sintra/Cascais.

Em Aveiro encontrei uma amiga de Salvador, coisa boa encontrar gente querida conhecida. E a cidade realmente é muito pequena! Cheguei com a mochila e não tinha guarda-volume em nenhum lugar, saí da estação e pedi para deixar as coisas numa padaria e a mocinha muito simpática disse que não tinha problema.

Não curto muito bate-volta, mas não tinhamos mais de um dia para explorar Aveiro. Então passamos no centro de informações turísticas e com um mapinha em mãos andamos todo o centro numa tarde, fizemos o passeio de barco, almoçamos no shopping em frente ao canal e a noite fomos para Coimbra.

Essa amiga vive em Coimbra, infelizmente não conheci a cidade, chegamos a noite, jantamos e ficamos jogando e bebendo em casa. A cidade é universitária, tem muitos jovens e sempre tem alguma festinha acontecendo. 

Recarreguei as energias e peguei o trem rumo a Porto na manhã seguinte.