segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fotos Portugal - Lisboa

Torre de Belem:

Mosteiro dos Jeronimos:

Portinhas em Alfama:

A "igreja branca imponente" que estava fechada:

Castelo de São Jorge:

Vista ao lado da Igreja de Santa Luzia:


Meu primeiro por do sol em Lisboa (aí é em frente a Praça do Comércio):


Praça do Comércio:

Videozinho tosco do passeio no Rio Douro em Porto:


video


Fotos Portugal - Porto e Aveiro

Aveiro:



Vista do Hostel em Porto:


Vila de Gaia:
Porto a noite, é lindo!

Portugal

Dicas gerais!

Hostel em Lisboa: Yes Lisboa, ótima localização, dá pra ir a pé aos principais pontos turisticos da capital, confortável, moderno e limpo, acho que o melhor preço, 13 euros quarto (grande) para 6 pessoas, tem bons lockers embaixo da cama com chave eletrônica, serve jantares todas as noites por 8 euros!

Coisa chata do hostel: o staff! 
Tirando Mustafa, um egipicio, achei os outros 2 portugueses da recepção muito malas, um eu perguntei se tinha que deixar a chave porque em muitos lugares tem que deixar, e ele disse que era obvio que não já que aquilo era uma pulseira, senti que o tom foi meio uma piadinha para brasileiro burro, mas ok, respirei fundo e sai com a tal pulseira! 

O outro me irritou ainda mais, perguntei como fazia para ir para Aveiro e ele disse de trem, ora pois! Eu falei: quero saber como chegar na estação, aí ele disse de metrô! 
Certo, não conheço a cidade e não é tão difícil dar instruções quando se trabalha com isso, no final ele explicou que pegava o metro a 2 quadras e descia na estação Apolonia. No dia seguinte só para confirmar perguntei a Mustafa que embora ainda aprendendo português  foi um querido, saiu na rua comigo e explicou tudo direitinho na maior simpatia e bom humor de verdade... bem, fugiu do propósito objetivo isso aqui, mas precisava contar isso rs!

Passeios clássicos em Lisboa: entrada Castelo de São Jorge = 3,50 euros (meia); Torre de Belem e Mosteiro dos Jerônimos.

Hostel em Porto: Pousada da Juventude - definitivamente não tem cara de hostel, é muito mais hotel, silencioso, enorme e tem uma vista linda para o rio, mas não fica localizado no centrão turístico e  é uma boa caminhada. O locker não tranca, o quarto é pequeno, a cama fazia muito barulho quando alguém se mexia ou subia no beliche e o chuveiro cai água para todos os lados. Também serve almoço e janta por 5, 6 euros.

Passeios que fiz no Porto: passeio de barco no rio douro 50 min = 10 euros; visita a cave Sandeman = 4 euros.

Passeio que fiz em Aveiro: passeio de barco pelos canais 40min = 5 euros.

Portugal em regra é barato, em Lisboa gastava em média 8 euros para almoçar, em Aveiro comprei o prato do dia com bebida no shopping grandão de lá por 7 euros, em Porto foi mais caro, o restaurante era meio chiquezinho, foi 12 euros a francesinha com refrigerante.

Passagens de trem: Lisboa - Aveiro 16,50 euros; Aveiro - Coimbra 4,40 euros; Coimbra - Porto 11 euros; Porto - Lisboa 20 euros... no site dos combios o preço estava um pouco maior.

As coisas no mercado são muito baratas e tem tanta coisa prática, gostosa! Vinhos são bem baratos, a partir de 1 euro, latinhas de cerveja a partir de 0,30 centavos, muita opção de queijos, frios, etc e acredito que todos os grandes mercados vendem comida pronta - entrei em 2 e tinham - sai bem barato e a cara é ótima, o quilo custa 6/8 euros.

Tem muita comida tipica deliciosa, provei a francesinha do Porto, bacalhau com batatas em Lisboa, arroz de pato em Aveiro, pastelzinho de Belém/Nata, e ovos moles, esse último não gostei, parece ovo cru! Experimentem!

Trem em Portugal é comboio e ônibus é autocarro

E se alguém sair de Lisboa para Dublin, fica a dica que NÃO precisamos de visto para entrar no país, perdi uns 10/15 minutos na fila do check in porque o funcionário da Aer Lingus cismava que eu não poderia viajar porque precisava de um visto prévio, eu dizia que não, ele me mostrava um documento que dizia que era necessário, até que ligou para alguém da cia que retornou depois dizendo que eu poderia embarcar, tenso!

Comprei o guia "O Viajante Independente na Europa" e não curti muito, as informações que encontrei nos blogs foram muito mais uteis, vou abandoná-lo por aqui, se você não tiver tempo para buscar na net acho que vale a pena comprá-lo.

Sobre a imigração, levem TODOS os documentos necessários: passagens de ida e volta para o Brasil, passagens dentro da Europa, reservas de hostels ou endereço da casa onde vai ficar, cartão de crédito, uma quantia em dinheiro compatível com os dias que vai ficar viajando (pode ser VTM), seguro de 30 mil euros e mantenham a calma, você é turista e não bandido, e por mais chato que seja os oficiais estão fazendo o trabalho deles checando essas informações.

Em Madrid me perguntaram se era a primeira vez, o motivo da viagem, quanto tempo ia ficar, quando disse 2 meses senti que o cara ficou alerta e aí perguntou quanto eu tinha de dinheiro, mas não pediu para ver, perguntou se tinha cartão de crédito e onde ia ficar, pediu para ver as passagens e reservas apenas, mostrei o endereço da casa em Dublin e a reserva em Portugal e Roma, únicas que eu tinha, ele quis saber das demais, eu disse que ia reservar as outras enquanto estivesse em Dublin.

Ele me perguntou tudo de novo e trocou o que eu tinha dito, disse "então você fica 3 semanas em Berlin", eu corrigi "não, em Dublin", perguntou ainda se não era muito caro para mim (afinal nós somos apenas pobres latinos miseráveis,  tive vontade de dizer que era rycaaa), se viajava sozinha e se não tinha medo e aí disse "ok, pode seguir!", tudo em espanhol.

Quando cheguei em Lisboa passei pelo controle de bagagens, o cara só confere o nome e origem da mala, ele pediu para ver minha mochila, confesso que fiquei irritada porque não é todo mundo que passa por esse "controle", pra mim foi pela procedência Brasil. 
Fui para a sala ao lado e coloquei a mochila na mesa, ele me fez umas perguntas idiotas do tipo "você esteve na Argentina?", bom isso consta no meu passaporte, "tem família aqui? como pode, onde vai ficar todo esse tempo?" (olha o eu sou rycaaaa de novo! Porque já inventaram hotel, pousada, hostel e até couchsurfing no mundo!) e abriu a mochila, saltou um pacote de calcinhas, ele ficou visivelmente constrangido, colocou na mochila de novo e disse "boa viagem, mas tens família aqui"... 

Em Dublin a mulher foi simpática, perguntou se eu falava inglês, eu disse que não e ela fez as perguntas devagar, consegui entender, pedi para repetir o que não entendi, mas ela só perguntou quanto tempo e onde ficaria, o que fazia no Brasil e pediu pra ver a passagem de saída da Irlanda.

Eu consegui viajar carregando APENAS 9kg. MUITO orgulhosa rs! Sabia que ia querer comprar aqui e depois ia sofrer para carregar tudo...

Abraços!

Lisboa

Gostei muito de Lisboa, fiquei 2 dias no hostel Yes Lisboa, quase dentro da Praça do Comércio, há outras opções por ali, achei muito bom porque conheci a maior parte dos pontos turísticos a pé.

De lá com um pouquinho de disposição dá para subir andando e passar pela Catedral da Sé, mais adiante tem a belíssima vista do mirante da Igreja de Santa Luzia, lá tinha um senhor tocando fado, que deu um toque de poesia ao passeio, me deu uma sensação muito boa estar ali escutando aquela música, admirando aquela paisagem, realizando uma coisa que há muito queria e tive uma "vontade danada de mandar flores ao delegado, de bater na porta do vizinho, desejar bom dia, de beijar o português da padaria" rs, e subindo mais um pouquinho já encontramos o Castelo de São Jorge.

Eu amo castelos, não sei, incorpora uma coisa medieval em mim rs, me sinto nos filmes, vivendo uma história, sei lá, eu viajo mesmo! :P

No Castelo de São Jorge conheci 2 brasileiros bem legais e passamos o dia juntos, saimos do castelo e descemos para Alfama, no caminho mais igrejas e uma catedral linda! 

Continuamos descendo as ladeiras, becos similares ao Pelourinho e vimos as mini portas famosas das casas, parecem de boneca e os cortiços com roupas no varais, seguimos andando para a Praça do Comércio e almoçamos por ali, escolhi bacalhau claro rs.

Mais tarde segui sozinha para a Torre de Belem e Mosteiro dos Jeronimos, peguei o ônibus 28 na Praça do Comércio e na volta apaguei no hostel outra vez.

Não fui para balada, andava tanto durante o dia que a noite não tinha disposição para festas e bebidas, um dia fiquei um tempo no bar do hostel, socializei um pouco, bebi umas 3 cervejinhas com meu colega de quarto, um japonês super querido que mora em Paris, a conversa era muito engraçada em "inglês, francês, espanhol, italiano e português", olha o inglês bacana fazendo falta, me pouparia esses micos agora, mas o importante é tentar se comunicar, depois subi para dormir.

Não deu para ir na parte nova da cidade, conheci melhor a parte antiga mesmo, não fui no Parque Expo e Oceanário... se tiver tempo na volta passo lá também!

As belas Porto e Aveiro

No trem a caminho de Lisboa, escrevo minhas primeiras impressões sobre esse mochilão...

A primeira semana em Portugal teve surpresas maravilhosas, comecei pela capital portuguesa, depois fui a Aveiro e dormi em Coimbra na casa de uma amiga que está lá estudando e por fim fui a cidade do Porto.

Simplesmente adorei o Porto e não sei exatamente porque, tendo em vista que o principio da estadia lá foi complicado, fui bancar "a aventureira" e peguei o trem sem reserva ou endereço de hostels, cheguei na estação e o máximo de informação que consegui foi um mapa da cidade.

Peguei um táxi rumo ao cais da Ribeira, área turística que em minha cabeça estaria pipocando de hostels, desci com a mochila e caminhei até não aguentar mais, não encontrava nada, sucumbi a outro táxi (ai meu orçamento!) e pedi ajuda: o taxista me levou para a Pousada da Juventude, a essa altura eu queria qualquer lugar para deixar as coisas.

Fiz o check in, deixei a bagagem e sebo nas canelas, mas com meu senso de direção apuradíssimo,  consegui me perder no caminho mais simples possível, e encarei uma longa caminhada no sentido contrário as atrações do dia.

Aí antes de começar a turistar, já precisava comer e comecei escolhendo bem (comida em Portugal nunca será um problema rs), pedi a famosa francesinha, prato tipico do Porto.

Alimentada rs, segui rumo ao cais da Ribeira e fiz o passeio de barco pelo rio Douro, coisa linda, super romântico. No final do passeio, cruzei a ponte e fui para a Vila de Gaia, que fica na outra margem e é onde se concentra as caves do Porto com os tradicionais vinhos da região.

Eu estava toda apaixonadinha pela cidade, já tinha andado tanto que acabei me metendo em vários lugares com cara de vida normal e gostava muito do que ia encontrando. 

Subi o morro para apreciar a vista lá de cima e depois desci pelos becos que muito me lembravam o Pelourinho. 

De volta as margens do rio, decidi que era hora de experimentar os vinhos do porto no Porto! Escolhi a cave Sandeman, é muito bem estruturada e oferece visitas guiadas. Peguei a última do dia que era no idioma espanhol (mas há em inglês também) às 17:15, e no final, claro, teve a degustação.

O vinho do Porto não é bebida para embriagar-se, pelo menos pra mim não é, e você sai da degustação bem satisfeito. É um aperitivo como um licor, bem docinho, com aroma e coloração que me encantam, estando na cidade não perderia a oportunidade de saber mais a respeito da produção, prestei atenção nas explicações e aprendi várias coisinhas.

Na saída já era noite e pude ver a cidade toda iluminada refletindo no rio, atravessei a ponte e caminhei mais um pouco pelo centro, voltei para o hostel e apaguei para variar.

No dia seguinte caminhei mais pela cidade, chama a atenção a quantidade de igrejas, não entrei em todas, na verdade não sou das que visitam todos os museus e igrejas das cidades, gosto de observar o cotidiano, caminhar, conversar com as pessoas, comer comidas tipicas...

Falando em "conversar com as pessoas", a primeira vista achei o português um ser peculiar, meio ranzinza-reclamão. É claro que também encontrei pessoas muito simpáticas, que me ajudaram na maior boa vontade, e só me deixaram mais dividida sobre a simpatia ou falta de simpatia dos portugueses rs. 

O  que não me deixou dúvidas mesmo foi o potencial turístico do país, não esperava encontrar tanta coisa bacana e digo sem medo que vale incluir Portugal num roteiro pela Europa, sim.

Voltando as cidades, não conheci Évora, talvez na volta quando ficarei mais 2 dias no país, dê um pulo lá, mas agora estou mais tentada a ir em Sintra/Cascais.

Em Aveiro encontrei uma amiga de Salvador, coisa boa encontrar gente querida conhecida. E a cidade realmente é muito pequena! Cheguei com a mochila e não tinha guarda-volume em nenhum lugar, saí da estação e pedi para deixar as coisas numa padaria e a mocinha muito simpática disse que não tinha problema.

Não curto muito bate-volta, mas não tinhamos mais de um dia para explorar Aveiro. Então passamos no centro de informações turísticas e com um mapinha em mãos andamos todo o centro numa tarde, fizemos o passeio de barco, almoçamos no shopping em frente ao canal e a noite fomos para Coimbra.

Essa amiga vive em Coimbra, infelizmente não conheci a cidade, chegamos a noite, jantamos e ficamos jogando e bebendo em casa. A cidade é universitária, tem muitos jovens e sempre tem alguma festinha acontecendo. 

Recarreguei as energias e peguei o trem rumo a Porto na manhã seguinte.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mais Mochilão Europa!

Ai meu guia de viagem que não chegaaaa!! Pelo dia que comprei no site da saraiva, já deveria estar aqui, enquanto ele não chega, continuo dando uma olhadinha básica em sites de cidades e em blogs de companheiros mochileiros pelo mundo!

Deu para perceber a ansiedade, né? Fazendo pequenas alterações no roteiro, impressionada como Portugal está ganhando espaço em meu coração rs, cada lugar interessante, lindo, sem contar que é barato e temos a facilidade do idioma, digo facilidade e não o mesmo idioma porque sinceramente quando um português fala muito rápido eu fico levemente confusa, inclusive nas pesquisas demorei a entender que 'comboio' se tratava de 'trem' rs.

Vi uma informação que não gostei: o London Eye estará  fechado do dia 8 a 21 de janeiro, justo na época que estarei na cidade, nem sei se chegando lá ia querer pagar 18 libras para dar uma voltinha, mas JÁ saber que não vou poder ir é chato
Ah, ando acompanhando também a temperatura! Segundo o site que vi a temperatura média em Berlin no mês de janeiro é -1ºC, jesus! Eu até estou preparada para o frio, do contrário iria no verão, né! Já tinha lido que Dublin e London ficam na média de 5ºC no inverno, nada diferente do que senti na Patagônia e sobrevivi, mas esse negativo aí abala meu psicológico, dá medinho de congelar muito rs! E anoitece às 16h da TARDE, meio estranho pensar nisso! 

E faltam só 8 dias... Fico por aqui empolgada com o tanto de coisa que irei viver! =D


domingo, 7 de novembro de 2010

Planejamento Mochilão Europa

Simmm, finalmente irei ao velho mundo em alguns dias! Animada e ansiosa! =D

Durante muito tempo pensei em fazer um intercambio, ficar pelo menos 6 meses em algum país de língua inglesa estudando, pesquisei muita coisa, enchi o saco de muita gente com perguntas, mas acabou não rolando por vários motivos - bom, pelo menos por enquanto, a gente nunca sabe o dia de amanhã. E ao invés do intercambio surgiu a oportunidade de viajar pela Europa por 2 meses!

Muitas dúvidas para onde ir, como ir, o que fazer, quantos dias ficar, quanto gastar, etc... e resolvi fazer o mesmo esquema da última viagem de 2 meses pela Argentina, ou seja, viajar um tempo e 'sossegar' em uma cidade.

Não acho legal ficar pulando de cidade a cada 4 dias, não por 2 meses seguidos, então prefiro ficar um tempo em um lugar, além de ficar mais barato, já que não gasta com deslocamentos e a hospedagem fica mais econômica (pode alugar um quarto), você tem a oportunidade de conhecer pelo menos um lugar sem pressa, perceber o ritmo da cidade e não apenas os pontos turísticos 'imperdíveis', gosto disso.

A escolha do 'sossego' dessa vez foi Dublin, fiquei muito em dúvida se ficava em Londres, vi que Dublin ficaria consideravelmente mais barato, e optei pela ilha verde.

Cada dia simpatizo mais com a cidade, e Londres irei visitar também, mas me convenci que Dublin seria mais acolhedora, Londres me parece mais frenética, imensa e juntando meu inglês sofrível e minha dificuldade com mapas, acho que seria mais complicado  lá. 

Aproveitarei minhas 3 semaninhas em Dublin para fazer um curso básico de inglês para não ficar tão ociosa, interagir com outras pessoas e tentar me animar a voltar estudar inglês quando voltar para casa! Ainda negociando com a escola, mas quase certeza que fecharei com a U-Learn.

Vou ficar um tempo legal em Barcelona, 13 dias! Passarei natal e ano novo com a família de Peu que vive lá, bacana isso porque natal é uma festa super família e vou ficar com muita saudade de meu pai e minha mãe. O resto da viagem será frenético, menos dias do que gostaria em cada cidade, devido ao pouco tempo que restará após essas pausas.

Acho mais inteligente do ponto de vista financeiro focar em uma determinada região da Europa, mas ÓBVIO que não consegui fazer isso sendo minha primeira viagem, queria conhecer milhares de lugares, com uma dorzinha no coração fui reduzindo e cheguei nas cidades que eu "precisava muito conhecer" rs, e assim não escapei das cidade clássicas das 'zoropa'... 

Horas de pesquisas nos sites da Ryanair e Easyjet, alguns minutos de indignação com a mudança no preço final das tarifas, essas companhias de baixo custo cobram por TUDO, taxa para bagagem com mais de 10 kg, taxa para check-in on line, taxa para passar o cartão de crédito (!!!), uma tarifa que você vê por 15 euros, no final pode sair 40 euros! 

Ok, ainda assim é barato, levando em consideração os preços dos voos aqui na América do Sul. Agora só falta definir os hostels. 

Detalhe que decidi fazer essa viagem em novembro há apenas uma semana, loucura total, os planos eram para inicio de 2011.

É importante lembrar que alguns países exigem a apresentação de um seguro no valor de 30 mil euros, podem até não pedir, mas que consta na lista de documentos obrigatórios para entrada, consta! 

Fiz o seguro com a Mondial (http://www.mondialtravel.com.br/), acho importante contratar um seguro em viagens, mesmo quando não é exigência, é aquela coisa que a gente paga, rezando pra não precisar usar.

Meu vôo chega em Lisboa, comprei pela Air Europa - ótimas tarifas saindo de Salvador, para Madrid fica um pouquinho mais barato, mas não sei qual era o problema da página no dia que eu não conseguia comprar o trecho SSA-Madrid!

Portugal não estava na minha lista de países que 'preciso conhecer' numa primeira viagem, mas como a chegada é lá, resolvi explorar a área rs, e que surpresa boa "descobrir" vários lugares interessantes! 
Fiquei encantada com fotos de Porto e muito curiosa para conhecer a simpática cidade de Aveiro, conhecida como a 'Veneza portuguesa'.

De Portugal sigo para Dublin, depois Roma e Florença, Barcelona, Paris, Berlin, Londres e volto para Lisboa para pegar o vôo de volta a Salvador! 

Já deu para perceber que fiz uma cagada atrás da outra na compra da passagem pela falta de programação, né? Pesquisem com antecedência, calma e encontrem as melhores opções.
Se já tivesse com tudo definido poderia comprar a volta de Londres, sem a necessidade de ir a Lisboa novamente, pelo site ficava super caro comprar trechos separados, mas depois soube pela própria agência da Air Europa em Salvador que a diferença seria pouca.

Ah, viajando sozinha de novo, encontrarei amigos em algumas dessas cidades que vou passar, alguns estão animados a seguir viagem comigo, o bom é que são ótimas companhias, aí estou torcendo para que me acompanhem mesmo!

É isso gente, logo contarei as novidades! Abraços!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Fotos Morro de São Paulo

Nossa "Vista Bela" da pousada (detalhe que esse quarto é na categoria 'vista jardim'):



Por do sol na "Casa do Reggae":


4ª praia ou pode chamar de paraíso se quiser...


Ainda nas piscinas naturais da 4ª praia me divertindo com os peixinhos!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Morro de São Paulo

Já tinha muito tempo que não ia na ilha, quase 4 anos! 

Fiquei muito satisfeita em ver que depois de todo esse tempo a ilha ainda preserva sua essência simples, apesar das melhorias e algumas mudanças. Tem gente que não gosta, conversei com uma senhora na volta e ela dizia que achava a estrutura precária para o turismo, eu dizia a ela que eu gostava justamente da simplicidade natural do lugar.

Só não entendo porque não melhoram o desembarque, acho complicado para pessoas de mais idade ou com alguma dificuldade de locomoção sair das embarcações saculejando naquela escada escorregadia do porto! 

A ida fui do jeito roots, aquele demorado e garanto que é a melhor opção.  O catamarã, embora mais rápido, para mim é uma tortura de 2h, fico enjoada com o balanço e mais ainda vendo as pessoas em volta passando mal, acho péssimo.

Se você combinar os horários do ferry com os horários dos ônibus, a viagem fica mais rápida e menos cansativa porque o chato é ficar esperando.


Eu peguei o ferry boat de 12:30, cheguei em Bom Despacho às 13:15 e às 13:30 saia o ônibus da empresa Águia Branca rumo a Valença (a empresa Camurujipe e Cidade Sol também fazem o trecho, preferi a Águia Branca porque tinha ar condicionado, o calor estava de matar e a diferença é de apenas 3 reais), daí cheguei no porto às 15:30 e às 16h saia a lancha rápida para Morro de SP.



Agora, vamos aos preços: R$3,95 a passagem do ferry + R$14 passagem ônibus + R$14 passagem da lancha.



Da rodoviária de Valença peguei um táxi para o cais, para minha surpresa os táxis não tem taxímetro e a corrida até o porto custa 10 reais, todos cobram esse preço, achei muita cara de pau!


Na volta peguei o catamarã Farol do Morro para chegar mais cedo em casa e depois de 1h de viagem um dos motores quebrou e aí, caros amigos, no meio do mar a coisa fica tensa, ao invés de 2h de viagem, foram 3h de muito barulho e cheiro de combustível na cara. 


Achei um absurdo porque não houve muita explicação aos passageiros, tipo uma coisa normal, a passagem é cara (R$75,) e fica a imagem que as manutenções deixam a desejar.



Na chegada a Morro de SP tem que pagar a taxa de turismo no valor de R$10, tem que guardar esse papel porque durante sua estada se você sair pelo porto pra fazer algum passeio e voltar, é só apresentar que não paga de novo.

Fiquei na Pousada Vista Bela e RECOMENDO MUITO! Serviço e localização excelente, pessoal super atencioso, café da manhã farto, preço justo e a vista é de fato belíssima.  Quase desisto de ficar nessa pousada porque as fotos no site não favorecem muito, mas o lugar é ótimo, me senti muito bem lá.

Em relação a localização das pousadas, eu sempre prefiro ficar na primeira praia porque acho que fica no meio do caminho para as praias e a vila, facilitando o acesso aos 'points' da ilha tanto de dia quanto de noite.

Na 4ª praia estão os hotéis mais luxuosos, esses disponibilizam transporte, eu particularmente acho chato depender de transporte para ir a praia/centro, acho distante e gosto de curtir o lugar, não apenas o hotel... mas isso é uma opinião minha, a maioria das pessoas ficam bem satisfeitas com a hospedagem lá!

Diversão em Morro não falta, agora já tem muita opção legal, tem a Pulsar que é uma boate e a Toca do Morcego, que eu acho muito legal! 

A Toca tem um lounge super bacana e fica aberto sempre no fim da tarde, o por do sol de lá é lindo, o ambiente é maravilhoso e depois tem um showzinho 'voz e violão', alguns dias da semana funciona também como boate na madrugada, super recomendo! 

Alias, cada dia da semana tem uma festa em Morro, só não lembro exatamente o dia de cada coisa, sorry! E ainda na 2ª praia há vários restaurantes, um do lado do outro, com som ao vivo, alguns grupos bons, outros nem tanto, aquele clima de 'verão, paquera e agito' rs, várias barraquinhas de roskas como chamamos aqui, ou de caipifrutas para vocês de outros lugares do Brasil.

Recomendo também o por do sol na "Casa do Reggae", muito lindo, vista fantástica, aqueles momentos que você pára e só agradece a Deus o que há de bom, é um pouco difícil chegar, fica no caminho da trilha para Gamboa, tem placas indicando e qualquer nativo pode explicar, também tem um showzinho depois, eles pedem uma contribuição 'voluntária', na Toca já cobram R$5 na entrada.

Comer em Morro não é caro, existem inúmeras opções de restaurantes caseiros, simples, que oferecem prato executivo entre 13 e 20 reais.

A noite também na 2ª praia os restaurantes vendem refeições para 2 pessoas por 40 e 60 reais. Lembro do restaurante Sabor da Terra e Funny, na Vila e na praia respectivamente, precinho camarada e comida comível, nada excepcional.

Tem muitos passeios a serem feitos, como mergulho, trilha para cachoeirinha, passeios de barco que dão a volta na ilha, que vão até Moreré e Gamboa.

É preciso disposição para subir até o Farol de onde se tem uma vista linda da ilha, quem tiver ainda coragem pode descer a tiroleza que tem lá, confesso que nunca tive coragem de descer rs.

Ah, e caminhar até a 4ª praia é obrigatório, apenas meia horinha, lá tem as piscinas naturais e a água é bem transparente, uma delicia.

Aproveitem a ilha! :)

Um dia em La Plata - Argentina

Ainda nessa viagem ao Uruguai aproveitei para dar um pulinho em Buenos Aires, coisa rápida mesmo só pra rever os amigos que lá ficaram.

Peguei o buquebus e fui encontrá-los, a noite fomos no nosso conhecido bar Carnal em Palermo e depois em um pub muito bom em San Telmo que já não me lembro mais o nome - ô memória! - e no dia seguinte aproveitei para visitar La Plata que ainda não conhecia, já tinha visto fotos da catedral e queria muito visitar.

Na ida fomos de trem, pegamos na estação Constituição e achei que demorou mais para chegar do que o ônibus da volta, além de parecer menos seguro para os turistas, mas como já me sinto local rs, e estava acompanhada de um amigo argentino que sabia como chegar, foi tranquilo... também não lembro o preço exatamente, mas é bem barato, gastei uns 5 reais pra ir e voltar!

Chegamos em La Plata e fiquei impressionada com a Catedral, é bem imponente tanto por dentro quanto por fora, lindíssima! A praça em frente com as estatuas representando as estações do ano é uma graça, vários jovens compartindo um mate lá, eu viciei nesse negócio de mate (lembro de um dia meu amigo surpreso por não termos esse costume na Bahia, me perguntar o que então compartiamos entre amigos numa tarde na praça, eu disse 'não vamos muito a praças, mas se for o caso, cerveja, claro!' rs).

A cidade foi toda projetada e é conhecida como a cidade das diagonais, tem muitas praças lá, tudo organizadinho, é um passeio que recomendo muito se vocês tiverem tempo disponível em Buenos Aires, fica a 1h30/2h de distância e além da catedral tem um museu bacana de ciências naturais, um parque/bosque enorme, a república de los niños, que como o nome já diz é um espaço destinado às crianças... fica a dica! :)



'O inverno'!

sábado, 31 de julho de 2010

Escolas de espanhol em Buenos Aires

Já recebi alguns e-mails perguntando sobre minha experiência na Expanish School, eu citei o curso no post sobre os preparativos do último mochilão e esqueci de comentar aqui!

Bom, eu achei a escola bem bacana, a estrutura é muito boa, as salas são confortáveis, com no máximo 6 alunos por turma (a maioria europeu - nos corredores se escuta mais inglês do que espanhol, chato), o nível dos professores é ótimo, acho que eles mesclam bem a parte gramatical com a conversação, são 4 horas por dia, geralmente de 9h às 13h (a tarde lá tem mais aulas particulares), sendo 30 minutos de intervalo, é legal que rola uma integração nas areas comuns, tem lanche disponivel todo dia com biscoitinho, café, chá ( tudo free, e na segunda-feira rola umas empanadas - amo - de boas vindas), tem alguns computadores disponiveis, e durante toda a semana eles programam atividades extraclasse bem interessantes (festas, jantares, passeios guiados a museus ou pontos turisticos, etc - isso tem um custo claro, mas bem acessivel), também promovem umas oficinas de arte, dança e viagens algumas vezes no mês, a localização é ótima, pertinho do obelisco e estações de metrô... enfim, RECOMENDO, durante minhas pesquisas foi a melhor relação custo X beneficio que encontrei!

Só tive um probleminha que foi encontrar o nivel da turma certo pra mim, nesse ponto achei desorganizado porque eu fiz um teste de nivelamento e parece que ninguém leu, eu contribui quando preenchi errado minha ficha marcando nivel de espanhol "0", mas mesmo assim acho que o teste deveria ter sido avaliado (se ninguém avalia, qual a finalidade?), daí fui parar numa turma super iniciante que pra mim foi mais uma aula de inglês que espanhol, no dia seguinte troquei de sala, no outro troquei novamente e nessa terceira troca o professor recomendou uma quarta troca (!), bati o pé e disse que ia ficar lá mesmo - eu sou teimosa!, mas na aula seguinte ficou tudo muito fácil e então na quinta-feira mudei para a turma avançada! 

No final não foi tão ruim porque revisei muita coisa e valeu a pena.

Outras escolas que tive boas referências de amigos foram Mundo Español e Coined, essa última está em várias cidades da Argentina, dá para conciliar os estudos com as viagens pelo país, tem em Ushuaia, Mendoza, etc!

Tem também o curso de espanhol para estrangeiros da UBA - a universidade pública de Baires - que é mais em conta $, porém o período minimo é de 1 mês e a carga horária semanal é inferior das demais escolas, além de ter datas fixas para inicio dos cursos, nas escolas a cada segunda-feira iniciam-se novas turmas.

É possível - e recomendo, mesmo! - fazer a matricula diretamente com as escolas, consultei algumas agências e com eles o preço fica absurdamente mais alto... geralmente as escolas oferecem o pacote com acomodação, mas também é muito caro! É mais vantagem fechar algum hostel por conta na cidade, há inúmeras opções para todos os gostos e bolsos, se for ficar um tempo razoável acho melhor alugar um apartamento ou dividir um com outros estudantes, dá para encontrar e reservar hostels no site http://www.hostelworld.com/ - sempre utilizo ele - e para encontrar pessoas para compartir um ap o site é http://www.compartodepto.com/ (seleciona provincia 'capital federal'), os bairros preferidos dos estrangeiros são San Telmo, Palermo e Recoleta.

Abraços!

domingo, 6 de junho de 2010

Um pouco de cine argentino!

Acabo de assistir mais um filme argentino apaixonante e resolvi dividir minhas últimas "descobertas".

Desde que comecei a fazer curso de espanhol busco alternativas para tornar o aprendizado mais dinâmico e interessante, daí comecei a procurar artistas latinos e filmes em espanhol, fiquei fã de salsa, escutei muito reggaeton - que acho de uma breguice contagiante rs, sem contar o "pop romântico" (não sei como classificar o estilo) a la Maná y Juanes.

No entanto, as melhores descobertas foram os filmes de Almodovar - Volver, Mala educación, Todo sobre mi mama (maravilhoso) y Hable con ella - são filmes mais "lado b, alternativos" como alguns chamam, para mim linguagens e narrativas com as quais tinha pouca intimidade, filmes bem feitos com perspectivas diferentes além do óbvio - previsível  e que em pouco tempo me encantaram e abriram as portas para esse mundinho mais critico e interessante de se fazer cinema! 

Passei a frequentar as salas de arte aqui em Salvador, salinhas pequenas, aconchegantes, com cafés charmosos e sempre ótimas pedidas de filmes. Numa ida dessas, assisti Um namorado para minha esposa, uma comédia argentina leve, divertidíssima, recomendo.

Em outra oportunidade assisti O segredo dos seus olhos também argentino, vencedor do ultimo oscar de melhor filme estrangeiro, acabei assistindo outra vez aqui há poucos dias porque na primeira vez vi sem legenda, deu pra entender direitinho - aliás a finalidade inicial na busca por coisas em espanhol era para "treinar o ouvido" - mas posteriormente vi que perdi muito detalhe e o filme me pareceu ainda melhor no repeteco! 

A partir disso decidi me "aprofundar" nas produções argentinas e me joguei no Google, li umas criticas, resenhas e selecionei alguns filmes que preciso ver, hoje coloquei em prática, fui numa locadora e só encontrei um titulo: "Lugares comuns", que só reforçou a minha vontade de ver todos os outros da listinha! 

O filme é sensacional, de uma poesia e sutileza fascinante, passagens, pensamentos que por si só já valem a pena as quase 2 horas de história, como a aula que o personagem principal dá aos seus alunos, futuros docentes: "pónganse como meta enseñarles a pensar, que duden, que se hagan preguntas! No los valores por sus respuestas, las respuestas no son la verdad, busquen una verdad que siempre será relativa... despierten en sus alumnos el dolor de la lucidez, sin limites, sin piedad...".

O que dizer então do amor, da dedicação, respeito e admiração por uma mulher? Novamente recorro a trecho do filme: "nos da un gran placer y una alegria calma tan intensa en estar juntos, aunque no hagamos nada en particular, si estamos juntos, estamos bien", olha, recomendo mesmo! 

Uma coisa interessante que me chamou atenção nos filmes argentinos foi que os atores são atores, frase óbvia, mas explico, não sinto uma necessidade em colocarem um(a) "gostosão/gostosona" na história como vejo nas nossas novelas, por exemplo, e isso é muito bacana, apesar de achar o Ricardo Darin t-u-d-o rs! 

Para quem interessar a listinha argentina conta com títulos como 9 rainhas, O filho da noiva, O ninho vazio, Clube da lua... sugestões serão bem-vindas também!

Abraços!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Alguns comentários sobre o "Mochilão na Patagônia Argentina"

Bom, tenho recebido alguns e-mails e como as perguntas se repetem, vou tentar esclarecer aqui também.

Sinceramente, as vezes percebo que as pessoas simplesmente não leem nada e perguntam coisas que já disponibilizei, como custo dos passeios, hostels que me hospedei, etc.

ADORO responder/ajudar as dúvidas de vocês, faço isso de coração mesmo, já que não ganho nada por isso, mas há coisas que são nitidamente preguiça de buscar - pronto, falei!, coisas como "quanto custa a passagem de Cabrobó do Brejo Velho a Buenos Aires?" ou "quais horários de ônibus, avião, barco de tal lugar a tal lugar?".

Basta jogar no amigo Google os nomes das empresas - gol, tam, aerolineas, lan, buquebus, seacat, colonia express, cata internacional, pullman, andesmar e uma infinidade mais - que aparece tudo bonitinho: horários, duração de viagem, preços, opções de pagamento.

Desabafo feito rs, vamos ao resumão:  

 - Fiz todos os trechos na Patagônia de avião (exceto El Calafate - El Chalten), não comprei nada por agência e não tem necessidade, 2 trechos comprei pelo site poucos dias antes da viagem e 1 trecho comprei diretamente na loja da Aerolineas em Ushuaia.

Em relação a fazer os trechos de ônibus, só recomendo se você tiver muito tempo disponivel e ir parando em pequenas cidades no caminho porque as distâncias são longas: Bs As/Ushuaia são 55h e Bs As/ El Calafate são 36h! 

Já o trecho El Calafate/Ushuaia são 18h de viagem e conheci muitas pessoas que fizeram, me parece interessante, passa pelo Estreito de Magalhães, cruza-se a fronteira com o Chile, no meu caso preferi ir de avião porque encontrei uma tarifa aérea que custava só 100 reais a mais e uma "economia" de 15h de viagem.

- O único hostel que reservei foi o de El Calafate - Hostel I Keu Ken, os passeios também não são necessários reservá-los com antecedência, é suficiente no dia de chegada nas cidades fechar as respectivas excursões, em Calafate e Chalten pode-se fazer tudo pelos hostels, os preços são tabelados, iguais.

Já em Ushuaia acho melhor ir direto nas atrações (Cerro Martial, museus), empresas no porto para os passeios de barco ou na avenida principal da cidade - esses lugares são pequenos e a rua principal é facilmente identificada. 

- As roupas sempre acho melhor comprar lá do que aqui no Brasil, principalmente pra galera do nordeste - aqui tudo é mais caro.
E quanto a alugar não vi muita vantagem, eu pensava que nesses lugares teriam muitas lojas de aluguel de roupa, mas não tem.

Não pesquisei muito os preços porque já não tinha interesse, mas na loja da Montagne em El Calafate, por exemplo, custava 60 pesos a diária. No meu caso não compensava de jeito nenhum o aluguel para 11 dias de viagem, gastaria 660 pesos, dava para comprar quase toda a roupa necessária com esse dinheiro em Buenos Aires e guardá-la por toda a vida rs.

- Outra dúvida constante é "quanto vou gastar?", isso é extremamente relativo, não dá pra mensurar, mas a Patagônia é CARA, mesmo você sendo a pessoa mais econômica do mundo, irá gastar um bom dinheirinho, ir lá e não fazer determinadas excursões pra mim é um grande desperdício.

Tem gente que pergunta se com R$2.000/2.500 dá pra fazer de Bariloche até Ushuaia incluindo t-u-d-o (passagem, hospedagem, alimentação e passeios), pra mim não dá e não sei até que ponto vale a pena se privar de tanta coisa viajando, obvio que um mochilão não é regado a luxo e conforto, muito menos a perrengues como já vi muita gente dizer "mochilão sem perrengue, não é mochilão", discordo! 

Situações inusitadas e surpresas são bem-vindas, mas para mim há um limite entre economia e aproveitamento da viagem, destaco que isso é uma OPINIÃO MINHA, cada um sabe o melhor pra si.

Quando estou fazendo/pesquisando meus roteiros sempre quero colocar o máximo de coisas que minha grana alcança, na empolgação superestimo ela, acho que dá para mais uma coisinha aqui, outra ali e depois tenho que botar o pé no chão, analisar matematicamente - distancias e custos, é uma tarefa triste as vezes rs! 

A Patagônia por exemplo, claro que eu queria fazer TODA, começar sabe-se la de onde e ir ate Ushuaia, mas não deu $, um dia quem sabe...

Se lembrar de mais coisas, posto aqui!

Abraço.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Fotos Ushuaia

Veleiro - Navegação Ilha H:



Ilha H:



Ushuaia vista do mar:



Passeio 4x4:



Lago "Escondido":


Almoço no bosque às margens do lago fagnano...


Lago Fagnano que é muito mais escondido rs...

Fotos Ushuaia

A famosa plaquinha do fim do mundo!



Museu do Presidio:


Teleférico Cerro Martial:



Agora posso dizer que sou atleta, muito chão e a subida com essas pedrinhas cansa...


O bonecoooooo!!! =D

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Mochilão na Patagônia Argentina: Ushuaia

Ahhh, o fim do mundo!

Tinha muita expectativa em chegar a Ushuaia, acho que era essa coisa de fim do mundo, de me sentir no extremo das Américas, não sei exatamente, mas a primeira vez que vi a cidade pelo avião - lembram do vôo furada a Calafate? - com aquela mistura de mar, montanha, neve, fiquei EUFORICA!

A segunda chegada ao aeroporto confesso já não foi tão impactante assim, nem mesmo avistando o famoso farol do fim do mundo. Já tinha visto tanta paisagem surreal que Ushuaia agora me parecia só uma cidadezinha bonitinha em uma posição geográfica curiosa! 
Por sorte isso logo mudou e eu voltei a ficar eufórica  principalmente quando vi a neve pela segunda vez na vida, e pude enfiar a mão, fazer bola, jogar pra cima, fazer um boneco de neve - há controvérsias quanto ao meu boneco, algumas pessoas disseram que parecia mais um vudu, assumo que não saiu a coisa mais linda, grande, gorda e feliz que eu sonhei, meus dedos congelavam com o frio, mas fiz uma coisinha fofa rs, depois posto a foto! - eu me sentia uma criança, esbanjando felicidade e isso é lindo!

Lá em Ushuaia me hospedei no Hostel Freestyle que é recomendadissimo, realmente a estrutura que eles têm é perfeita, bons banheiros, quartos e lockers espaçosos, a area comum é maravilhosa, uma vista linda para a cidade com sofás, mesas de jogos, porém o atendimento deixou a desejar, nunca vi tamanha má vontade pra informar/ajudar sobre coisas da cidade, eu desisti, odeio respostas monossilabicas e desinteressadas, perguntava " e aí as excursões como faço para contratar, como é essa da pinguinera?", e escutei com muito desdem "o que vc quer saber exatamente?", como o que quero saber exatamente, gente???? Tipo tudo, né! Opinião pessoal, opções, preços, horários, duração...

Não passei maiores aborrecimentos porque como já disse meu senso de humor fica muito mais flexível viajando, tentava usufruir da boa estrutura oferecida, para não ser injusta, tinham 2 carinhas mais agradáveis lá e eu não fui a única a reclamar da pouca atenção.

Se resolver ficar lá recomendo escolher os quartos do primeiro andar,  fiquei 3 noites no segundo andar e as vezes era difícil dormir, a área comum está bem em cima e tinha umas gringas que gritavam a madrugada inteira, 2 dias foram até às 6h da manhã! As outras 2 noites mudei para o quarto do primeiro andar com banheiro privado, 10 pesos a mais que fizeram a diferença no meu sono e conforto.

Eu já estava na Argentina há pouco mais de um mês, comendo sempre muita carne e batata frita, já com insuficiência de dendê no sangue rs, só pensava em comer todas as delicias do mar possíveis  nem os altos preços me desanimaram, e aí meus caros tome salmão, merluza negra - divina!, centolla de todos os jeitos e todos os dias, isso deu um baque no meu orçamento, mas até hoje fico com água na boca! 
Um prato desse sai em média 80 pesos, mas quem quiser economizar pode comprar tudo isso nas peixarias e fazer no albergue que sai a metade do preço.

No primeiro dia, como cheguei no inicio da tarde, só deu tempo de almoçar e ir no museu do presidio, gostei, achei tudo organizado e colorido, tirei fotos com os bonecos e li algumas coisas interessantes sobre a história do lugar, que se confunde com a própria história da cidade.

Depois fiz uma tentativa frustada de caminhar pela orla da cidade, pensei em visitar as fragatas da America Latina que agora estavam no porto de Ushuaia (já tinham passado por Bs As também, mas não pude ir ver) e o vento não permitiu, eu me desequilibrava com o vento e lacrimejava muito.
Desisti, chamei um taxi e voltei pro hostel! Lá conheci uma italiana super gente boa que dividia o quarto comigo e mais 2 franceses, sai com a menina para jantar e combinamos de ir no dia seguinte ao Cerro Martial.

Fomos para o Cerro de táxi, tivemos muita sorte de ir esse dia, porque sem sabermos era o último dia de funcionamento do teleferico, que ia parar por algum tempo por algum motivo que não entendi!
Esse teleférico são duas cadeirinhas sem cobertura que sobe até um ponto da montanha, tem uma vista linda para a cidade e se pode caminhar uma hora até a parte mais alta, já era possivel ver neve acumulada em varios lugares e foi aí que fiz minha farra narrada acima rs.

No caminho da trilha fizemos amizades, como sempre, as pessoas ficam mais simpáticas andando nesses lugares. Caminhamos bastante, parecia fácil, mas deu para cansar: eu me sinto uma atleta depois dessa viagem, nunca tinha andado tanto em toda minha vida!

Pegamos o teleferico de novo e tinha uma senhora numa van cobrando 5 pesos por pessoa para deixar no centro, foi meio tenso porque ela dirigia como uma louca, fazia umas curvas sem noção e me pedia para falar português porque ela achava lindo, figuraça! Eu falava frases desconexas porque estava piscando com o transporte com emoção rs!

No outro dia fui no porto comprar meu passeio de barco, tem muitas opções, cada empresa tem sua casinha de madeira onde vende as excursões, estava em dúvida se fazia o passeio que ia até as pinguineiras que durava muitas horas ou o passeio em veleiro até uma ilha e mais curto.

Como tinha passado um dia navegando em Calafate, mesmo querendo muito chegar pertinho dos pinguins, optei pelo veleiro porque levava menos tempo, eram poucas pessoas - máximo 10, e eu nunca tinha andado em um veleiro antes, além de ter lido na net que a empresa Três Marias era altamente recomendada. Adorei a escolha, o passeio foi maravilhoso e me senti numa expedição a la National Geografic rs!

O tempo estava ruim na ida e antes de navegar o pessoal da Três Marias oferece umas roupas big-extra-super GG para vestirmos.
O passeio passa pela ilhota dos cormorones, uma ave aquática muito presente na Patagônia, e segue para Ilha H que é preservada e  não tem uma estrutura para descermos do barco, temos que praticamente escalar uma pedra - exagerada! Fiquei com um pouco de medo porque eu de fato sou muito atrapalhada, mas o pessoal te ajuda e não tem maiores problemas.

Caminhamos uma hora na ilha, é muito bonito, tem algumas aves, se pode ver o Chile de um lado e Argentina do outro, o guia é maravilhoso e explica tudo a gente, toda a história dos yamanás, povo nativo que habitou a patagônia e a tal ilha!
A volta foi uma delicia, o tempo estava ótimo e o mar parecia um lago, ver a cidade refletindo no mar foi  inesquecivel, voltei compartindo um mate com o pessoal - tinha opção de whisky! - e comendo alfajor, recomendo mesmo a Tres Marias!

No final da excursão todo mundo ganha um vale-cerveja no Pub Dublin, o point de Ushuaia  rs! Achei muito massa isso, uma das vantagens de fazer um passeio com um numero limitado de pessoas é poder dividir as emoções, fazer amizades, eu que viajava sozinha curti muito. A noite nos encontramos todos lá, um casal de australianos, varios franceses - ô povo que viaja!, uma alemã e eu. Era aniversário dessa alemã e ela pagou tekila para todo mundo, foi muito divertido, apesar da dificuldade de comunicação com algumas pessoas rs!

O quarto dia ia para o Parque Nacional, porém amanheci pessima da garganta, desde Calafate ameaço ficar doente e nesse dia não teve jeito, tudo doia e eu não tinha animo pra fazer nada, tomei muito chá e fiquei vendo filmes no hostel, depois sai para comer e comprei uma excursão pra manhã seguinte: lago fagnano e escondido em 4x4!

Amanheci péssima ainda, alias voltei pra Salvador péssima, cheguei a pensar que nunca mais na vida ia melhorar rs, mas como já tinha pago a excursão fui assim mesmo.

O guia era ótimo e por casualidade só tinha eu, um casal e 2 filhinhas pequenas, todos muito simpáticos e preocupados com meu estado, pegamos a estrada, passamos primeiro pelo lago escondido, que é enorme, pelo nome eu pensava que era uma coisa mais discreta, mas ele tá lá grandão e escancarado pra quem quiser ver, não tem nada de escondido rsrs.
Eu continuava toda mole no carro, então o guia me deu uma pastilha milagrosa e eu fiquei bem! Pegamos a trilha de barro e aí começa o 4x4, o carro passa por várias poças enormes, entra no rio, muito legal, pensava que o cara era louco e o carro ia pifar a qualquer momento com tanta água rs!
Paramos num bosque em frente ao lago e o guia preparou nosso asado (churrasco) com direito a vinho, cerveja, tabua de frios, tudo muito gostoso, e eu ficava quase dentro da fogueira com tanto frio!

A noite tive uma surpresa desagradável  fiquei tão empolgada com o efeito das pastilhas que tomei várias, quando cheguei no hostel ainda tomei aspirina e sai com meu novo companheiro de quarto para jantar - a italiana já tinha ido embora, de repente comecei a sentir um incomodo, e esse amigo dizendo que eu era maluca, que não tinha nada, no meio do jantar ele disse "boludaaaa, seu olho tá inchando, tá parecendo um chiuaua!".

Crise alérgica, meus olhos ficaram bizarros, uma mutação em minutos, lá vai a gente para o hospital público, fiz um seguro viagem com a Go to London, mas acabei usando o serviço público e fiquei surpresa: atendimento perfeito!

Cheguei, paguei 20 pesos por algo que não sei e o médico já estava do meu lado! Tomei uma injeção fdp, tive que comprar 60 pesos em remédios e ficar 5 dias sem beber, tinha festinha de novo no Pub Dublin... ah sim, meus olhos voltaram ao normal em uma hora e sorte que esse meu amigo - outro anjo que cruzou meu caminho - era gay porque eu fiquei o cão de feia! hahahah =)

E foi assim que eu me despedi de Ushuaia, na manhã seguinte fiz o check-out, caminhei um pouco mais pela cidade, comprei alguns souvenirs e fui para o aeroporto rumo a Buenos Aires de novo, engraçado que cheguei na cidade com uma sensação de "cheguei em casa", eu estava realmente me adaptando aos ares portenhos...

* Diária hostel: 60 e 70 pesos.
* Taxi aeroporto/hostel: 22 pesos
* Museu do Presidio: 30 pesos - diz que é brasileiro que tem desconto!
* Taxi Cerro Martial: 18 pesos
* Teleferico Cerro Martial: 35 pesos. Obs.: guarda o papelzinho minusculo que eles dão com cuidado porque tem que apresentar na descida!
* Excursão Veleiro a Ilha H: 210 pesos
* Excursão 4x4 Lago Fagnano e Escondido: 300 pesos

Fotos El Chalten

Momento verão rsrs! Chegando na parte fácil da trilha, essa coisa branca é a neblina embaixo na cidade.


Calafate é uma frutinha, tem a planta em toda a trilha - eu comi!, pena que não aparece direito na foto, é bem pequena.


Laguna Capri:

Fotos El Chalten

A pequenina cidade de Chalten:


Na porta do Hostel: eu amava essa vista!


Trilha para Chorillo del Salto:


Chorillo del Salto:



Laguna del Desierto vista de cima da montanha:


Glaciar e Laguna Huemul que estão na trilha dentro da propriedade privada que mencionei, belíssimo! Aí foi quando nevou! ;)